Sejamos Sol

Analisando minha vida nos últimos anos percebi que muitos amigos quais fiz, hoje não tenho notícia, não conversamos, e não buscamos entrar em contato ou saber como o outro está.

Por muito tempo pensei que o problema estava nas pessoas, elas não estavam ficando na minha vida. Elas não estavam fazendo esforço suficiente para permanecer. Elas não mandavam mensagem. Elas não buscavam fazer a diferença. Elas eram as culpadas.

Hoje percebo que o problema era/é eu. Eu não corria atrás, esperava que a pessoa viesse até mim, e muitas vezes vinha, mas eu não me esforçava para ela permanecer. Pensava que eram elas que precisavam de mim, e eu não precisava delas. Agora, com o tempo, vejo que é algo bilateral, eu preciso delas, assim como elas precisam de mim. Ninguém nesse mundo vive só.

Nunca fui de mandar mensagem ou buscar saber como meu amigo da escola está. Ou até mesmo de puxar papo com alguém e tentar marcar de fazer algo nem que seja só para jogar papo fora mesmo.

Com o tempo entendi que estava sendo “nuvem” na vida das pessoas. Estava passando pela vida delas, vez ou outra causando uma tempestade, mas no final sempre ia embora. Assim como no céu nuvens/pessoas vão embora, isso é fato. Só que as pessoas devem ir embora de forma natural, em um ciclo do convívio social. Nós não podemos buscar a todo custo ser “nuvem” na vida das pessoas.

Hoje percebo que quero ser “sol”, quero buscar ser “sol” na vida das pessoas. Por mais que algumas nuvens passem, tampe o sol, no final o sol está bem ali, no mesmo lugar de sempre, e as pessoas sabem que ele sempre estará ali.

Cotidianamente nós podemos ser ausente, não estar a todo momento ao lado da pessoa. Entretanto mesmo a lua ali pela noite, tampando o sol, é só por algum momento, logo mais o sol vai vir, afinal ele continua ali, no mesmo lugar.

O que quero dizer é que nesse mundo ninguém vive sozinho. Muitos textos pregam o desapego, que a outra pessoa faça a diferença, ou que devemos nos dar mais valor, eles não estão errados, mas nós também temos que fazer nossa parte para as pessoas ficarem em nossa vida. Sim, nós devemos desapegar de algumas pessoas que nos fazem mal, mas nem todas as pessoas do mundo qual entra em nossa vida está ali para subtrair. Nós não devemos buscar ser passageiro na vida das pessoas, ou fazer as pessoas serem passageiras em nossas vidas, devemos sempre buscar fazer a diferença. No final nós queremos ser sol, e só o sol importa.