“Meu nome é Lindomar, eu morava em Canoas, nasci em Novo Hamburgo. De Canosa vim pra cá com 18 anos, vim pra Porto Alegre, trabalhar, e tô até hoje trabalhando como catador, gosto desse serviço, eu gosto. É uma profissão que eu não troco por outra, também porque eu tenho até a quinta série só, e prefiro continuar no material reciclado.”
“Sou casado, minha esposa recicla o material também, mas o material não é meu, o material todo que eu puxo é pra ela. Faço às vezes um carreto e tal, mas todo o troquinho é pra ela; tudo com o carrinho. Sem o carrinho não tem como trabalhar, tem que ter um carrinho que é o instrumento de trabalho da gente, né. Não tem o carrinho a gente não faz nada; o carrinho facilita bastante.”