Confira a lista dos livros lançados em 2015 que valem a pena ler em 2016.

Lista elaborada pelos escritores do Blog do Beco.

Selecionamos 25 livros lançados em 2015 para que vocês tenham um ponto de partida na leitura neste começo de 2016. Sabemos como é difícil escolher um bom livro para ler, então, confira abaixo as nossas dicas.

  1. Eu Vejo Kate — O Despertar De Um Serial Killer — Cláudia Lemes

“Um ano atrás, Blessfield enterrou 12 mulheres vítimas do cruel serial killer Nathan Bardel. Ele foi julgado e executado. Antes que as feridas da cidade cicatrizassem, um novo assassino em série surgiu. Mais violento. Mais cruel. Com o mesmo método. Alvo na mira: Kate Dwyer é uma escritora imersa na produção da biografia de Nathan Bardel. O que ela não sabe é que ao mergulhar na sombria vida do assassino, ele passa a acompanhá-la. À medida que se aprofunda nos mistérios de Bardel, a escritora desperta outro assassino. Agora, sua vida corre perigo. Serial Killer X Serial Killer: Desde que Kate decidiu escrever a história de sua vida, Nathan Bardel percebeu que mesmo morto poderia acompanhá-la. Quando ele descobre que um novo serial killer o está copiando fica furioso. Agora ele tem uma nova meta: encontrar o imitador. Caçador de monstros: O agente especial do FBI Ryan Owen é um dos melhores profilers do país. Mas sua experiência será colocada à prova na busca pelo serial killer que não deixa pistas. Ryan — que está com a carreira ameaçada — se vê numa investigação que pode terminar de forma trágica.”

2. Doutor Sono — Stephen King.

“Mais de trinta anos depois, Stephen King revela a seus leitores o que aconteceu a Danny Torrance, o garoto no centro de O iluminado, depois de sua terrível experiência no Overlook Hotel. Em Doutor Sono, King dá continuidade a essa história, contando a vida de Dan, agora um homem de meia-idade, e Abra Stone, uma menina de 12 anos com um grande poder. Assombrado pelos habitantes do Overlook Hotel, onde passou um ano terrível de sua infância, Dan ficou à deriva por décadas, desesperado para se livrar do legado de alcoolismo e violência do pai. Finalmente, ele se instala em uma cidade de New Hampshire, onde encontra abrigo em uma comunidade do Alcoólicos Anônimos que o apoia e um emprego em uma casa de repouso, onde seu poder remanescente da iluminação fornece o conforto final para aqueles que estão morrendo. Ajudado por um gato que prevê a morte dos pacientes, ele se torna o “Doutor Sono”. Então Dan conhece Abra Stone, uma menina com um dom espetacular, a iluminação mais forte que já se viu. Ela desperta os demônios de seu passado e Dan se vê envolvido em uma batalha pela alma e sobrevivência dela. Uma guerra épica entre o bem e o mal, uma sangrenta e gloriosa história que vai emocionar os milhões de fãs de O Iluminado e satisfazer os leitores deste novo clássico da obra de King.”

3. Mr. Mercedes — Stephen King.

Nas frigidas madrugadas, em uma angustiante cidade do Centro-Oeste, centenas de pessoas desempregadas estão na fila para uma vaga numa feira de empregos. Sem qualquer aviso um motorista solitário irrompe no meio da multidão em um Mercedes roubado, atropelando os inocentes, dando ré e voltando a atropelá-los. Oito pessoas são mortas, quinze feridos.

Em outra parte da cidade, meses mais tarde, um policial aposentado chamado Bill Hodges é ainda assombrado por um crime sem solução. Quando ele recebe uma carta enlouquecida de alguém que se auto-identifica como “privilegiado” e ameaça um ataque ainda mais diabólico, Hodges acorda de sua deprimente e vaga aposentadoria, empenhado em evitar outra tragédia.

Brady Hartfield vive com sua mãe alcoólatra na casa onde ele nasceu. Ele adorou a sensação de morte sob as rodas da Mercedes, e ele quer aquela corrida de novo. Apenas Bill Hodges, com um par de aliados altamente improváveis, pode prender o assassino antes que ele ataque novamente. E eles não têm tempo a perder, porque na próxima missão de Brady, se for bem sucedido, vai matar ou mutilar milhares. Mr. Mercedes é uma guerra entre o bem e o mau, do mestre do suspense, cuja visão sobre a mente deste obcecado assassino insano é arrepiante e inesquecível.

4. As Pessoas Parecem Flores Finalmente — Charles Bukowski.

Em um poema publicado postumamente, Charles Bukowski (1920–1994) escreveu que teria tido êxito na vida “se vocês lerem isso muito tempo depois de eu morrer”. Pois bem, a julgar por esse critério, o velho safado de fato teve êxito: este é o quinto e último volume póstumo composto integralmente por poemas inéditos. Dividido em quarto partes, o livro foi publicado nos Estados Unidos em 2007, com grande aclamação de público e crítica. As composições da primeira parte versam sobre incidentes ocorridos antes de Bukowski começar a publicar mais prolificamente, na década de 1960. A segunda parte reúne textos sobre mulheres. A terceira, sobre loucuras e vicissitudes da vida cotidiana de um escritor; e a quarta parte exemplifica a sabedoria bukowskiana. Versos broncos sagazes, rápidos, testemunham sua devoção a corridas de cavalos, boxe e bebida; suas aventuras e seus fracassos sexuais; seu desprezo por literatos empolados e seu ambivalente anseio por fama literária. Parte dos poemas é pura nostalgia; alguns dos mais memoráveis registram as ansiedades do artista e seu deleite ao cuidar da filha bebê. Um tom observacional, reflexivo, permeia o livro do início ao fim, fazendo deste, para muitos leitores, um de seus mais pungentes volumes poéticos.

5. Escuridão Total Sem Estrelas — Stephen King.

Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Em Escuridão total sem estrelas os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. 
Em 1922, o agricultor Wilfred e o filho, Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe. No conto Gigante do volante, após ser estuprada por um estranho e deixada à beira da morte, Tess, uma autora de livros de mistério, elabora uma vingança que vai deixá-la cara a cara com um lado desconhecido de si mesma. Já em Extensão justa, Dave Streeter tem um câncer terminal e faz um pacto com um estranho vendedor. Mas será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa? E, em Um bom casamento, uma caixa na garagem pode dizer mais a Darcy Anderson sobre seu marido do que os vinte anos que eles passaram juntos.
Os personagens dos quatro contos de Stephen King passam por momentos de escuridão total, quando não existe nada — bom senso, piedade, justiça ou estrelas — para guiá-los. Suas histórias representam o modo como lidamos com o mundo e como o mundo lida conosco. São narrativas fortes e, cada uma a seu modo, profundamente chocantes.

6. Joyland — Stephen King

Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

7. Revival — Stephen King.

Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes. Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade. Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.

8. Sangue no Olho — Lina Meruane.

Estreia da chilena Lina Meruane no Brasil, este romance narrado em primeira pessoa conta a história de uma mulher que vê tudo ao seu redor se modificar quando se dá conta que está quase cega. A enfermidade — seus olhos se encharcam de sangue — é tratada por Leks, o médico russo que a submete a um extenuante périplo de exames, sem nunca chegar a um diagnóstico. Enquanto espera por uma definição, Lina passa a viver entre Nova York e Santiago do Chile — cidades que também são como personagens do livro — e reconfigura todas as suas relações pessoais: os velhos fantasmas familiares saem à luz e a relação com o namorado, Ignácio, ganha traços perversos.

9. A Rainha Vermelha — Victoria Aveyard.

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.

10. Caixa de Pássaros — Josh Malerman

Romance de estreia de Josh Malerman, “Caixa de Pássaros” é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

11. Cansei de Ser Gato-Do Capim ao Sachê — Amanda Nori & Stéfany Guimarães.

Ele já foi unicórnio, alface, pão de forma, Frida Kahlo e Mestre dos Magos. Desde 2013, Chico arrebatou o coração de milhares de fãs ao encarnar personagens inusitados com sua versatilidade felina na página Cansei de Ser Gato no Facebook e no Instagram. Fez tanto sucesso que conquistou o estrelato e o posto de gato mais famoso da América Latina. Com doses generosas de ironia, Cansei de ser gato: do capim ao sachê revela a surpreendente trajetória de Chico rumo ao sucesso na internet, desde sua infância modesta no interior até a chegada à cidade grande, onde passou frio e fome antes de encontrar um sofá para chamar de seu, constituir família e começar a se virar. Cansado de ser gato, Chico virou, entre outras coisas, bacharel, enfermeiro, Elvis Presley e Homem-Aranha. Conformado em pagar o preço da fama, Chico convive com os inconvenientes paparazzi e aparece em revistas, posando até para um ensaio sensual. Sem perder o charme e, muito menos, o ar de superioridade, Chico expõe nesta biografia (mais ou menos) autorizada seu grande desejo de conquistar o mundo — a começar por você.

12. A Fazenda — Tom Rob Smith.

Daniel acreditava que os pais aposentados levavam uma vida tranquila numa fazenda isolada na Suécia. Mas seu mundo vira de pernas para o ar ao receber um telefonema. “Sua mãe… ela não está bem”, diz seu pai. “Ela anda imaginando coisas. Coisas terríveis. Ela teve um colapso psicótico e foi internada num hospital”.

Antes que Daniel consiga embarcar no avião para a Suécia, recebe outro telefonema, agora de sua mãe: “Tudo que esse homem falou para você é mentira. Eu não sou louca. Não preciso de um médico. Preciso da polícia… Me encontre no aeroporto de Heathrow”.

Dividido entre duas versões da mesma história, e indeciso sobre em quem acreditar, Daniel se torna ao mesmo tempo juiz e júri do relato desesperado da mãe, que traz à tona segredos do passado, mentiras e a possível conspiração para encobrir um crime que envolve o próprio pai.

13. Esperando Por Doggo — Um Homem, Um Cachorro, Um Grande Amor — Mark Mills.

Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. 
Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto.
Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. 
De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan. 
Esperando Doggo não é só um livro sobre um cachorro. É um livro sobre o poder de uma verdadeira e sincera amizade.

14. Ela Não É Invisível — Marcus Sedgwick.

‘Esse thriller combina um envolvente mistério com questões existenciais de forma brilhante.’ — Booklist, starred review

Laureth é uma adolescente cega de 16 anos, e seu pai é um autor conhecido por escrever livros divertidos. De uns tempos pra cá, ele vem trabalhando em uma obra sobre coincidências, mas jamais consegue terminá-la. Sua esposa acha que ele está obcecado e prestes a ter um ataque de nervos. 
Laureth sabe que o casamento dos pais vai de mal a pior quando, de repente, seu pai desaparece em uma viagem para a Áustria e seu caderno de anotações é encontrado misteriosamente em Nova York. Convencida de que algo muito errado está acontecendo, ela toma uma decisão impulsiva e perigosa: rouba o cartão de crédito da mãe, sequestra o irmão mais novo e entra em um avião rumo à Nova York para procurar o pai. Mas a cidade grande guarda muitos perigos para uma jovem cega e seu irmãozinho de 7 anos.

15. Zac e Mia — A.J Beets.

A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia — bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.
No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.

16. A Herdeira — Kiera Kass.

No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

17. Para Todos Os Garotos Que Já Amei — Jenny Han.

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

18. Detalhe Final — Harlan Coben.

O agente esportivo — e detetive ocasional — Myron Bolitar está num verdadeiro paraíso. Divide uma praia caribenha com Terese, uma mulher deslumbrante que acabou de conhecer — uma forma perfeita de se recuperar da perda recente de uma amiga querida.

Seu retiro é interrompido por Win, seu amigo e parceiro em inúmeras investigações. Ele não traz boas notícias: um dos clientes mais antigos de Myron, o problemático Clu Haid, arremessador dos Yankees, foi assassinado e a principal suspeita é Esperanza, melhor amiga e sócia de Myron.

De volta a Nova York, Myron está determinado a provar a inocência de Esperanza, mas os obstáculos são maiores do que imaginava. Para desvendar o crime, Myron terá de encarar o submundo nova-iorquino e abrir feridas antigas que podem ser o seu fim.

Com reviravoltas, cenas e diálogos inesquecíveis, temperados com um delicioso humor, Detalhe final tem tudo o que fez de Harlan Coben um fenômeno literário e vai surpreender o leitor até a última página.

19. A Vida dos Elfos — Muriel Barbery.

Maria e Clara são jovens órfãs ligadas por dons secretos. A chegada de Maria traz prosperidade à granja francesa onde é criada, enquanto Clara, crescida em uma aldeia do sul da Itália, é enviada a Roma para desenvolver sua veia musical prodigiosa.
Cada uma à sua maneira, as duas garotas se comunicam com um mundo misterioso, que garante profundidade e beleza à vida humana, mas, ao mesmo tempo, oferece uma ameaça grave contra a nossa espécie. Só Maria e Clara poderão combatê-la. 
Neste romance de atmosfera inesquecível, primeiro de dois volumes, a autora do best-seller internacional A elegância de ouriço se aventura pela fantasia para fazer um elogio do encantamento, da poesia e da natureza.

20. De Volta Para O Futuro — Caseen Gaines.

O futuro é agora! O livro oficial sobre os bastidores da Trilogia. O futuro está de volta. Há 30 anos, Marty McFly fazia sua primeira viagem no tempo, a bordo de um DeLorean. Tinha início uma das maiores trilogias da história do cinema. De Volta Para o Futuro é um marco da cultura pop, conquistando gerações de fãs leais a cada reprise na tv ou nos relançamentos em todas as mídias possíveis, do vhs piratão aos modernos vídeos on demand. Para comemorar o 30º aniversário da saga que reinventou a ficção científica, com boas doses de humor e aventura, a DarkSide® Books tem o prazer de anunciar mais um lançamento imperdível para qualquer geek que se preze: De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads — Os Bastidores da Trilogia.
O livro de Caseen Gaines é o documento mais completo sobre a trilogia De Volta Para o Futuro, além de ser uma verdadeira aula sobre cinema. Para conseguir reunir informações exclusivas, muitas daquelas que nem o mais apaixonado dos fãs conhecia direito, o autor levou vinte meses de pesquisa e conduziu mais de quinhentas horas de entrevistas com equipe técnica, elenco e fãs. O diretor Robert Zemeckis, o produtor e corroteirista, Bob Gale, o insubstituível Christopher Lloyd (Dr. Emmet Brown) e até mesmo Huey Lewis, autor de “Power of Love”, canção-tema do filme de estreia, relembram, com detalhes, como a saga ganhou vida. Críticos de cinema, documentaristas e fãs dedicados também ajudaram a enriquecer o conteúdo do livro. 
Entre as muitas curiosidades desvendadas por Caseen Gaines estão os verdadeiros motivos que levaram Zemeckis a demitir Eric Stoltz (Máscaras do Destino, Pulp Fiction), o primeiro ator a interpretar McFly diante das câmeras; por que De Volta Para o Futuro quase se chamou O Homem de Plutão; como Chuck Berry quase sabotou o solo de guitarra de Marty; ou ainda, por que a velocidade necessária para o DeLorean viajar no tempo é de 88 milhas por hora?
De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads — Os Bastidores da Trilogia chega aos leitores brasileiros no tão esperado dia 21 de outubro de 2015. A data marca a viagem de McFly, sua namorada Lorraine e Dr. Brown ao século xxi no gancho do primeiro para o segundo filme da trilogia, e será celebrada no mundo inteiro como o Back To The Future Day. Enquanto esperamos que os skates voadores (hoverboards, para os íntimos) estejam disponíveis para o grande público, uma coisa é certa: o futuro já chegou!

Caseen Gaines é um devotado historiador de cultura pop. Sua tese de formando em jornalismo e estudos midiáticos na conceituada Rutgers University explorou relações raciais presentes na série original de filmes Planeta dos Macacos. É professor de inglês do ensino médio e diretor artístico da Hackensack Theatre Company. De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads — Os Bastidores da Trilogia é seu terceiro livro. Saiba mais em caseengaines.com.

“Caseen Gaines escreveu uma história irresistível sobre nossa trilogia. Ler seu livro foi como realmente voltar no tempo. E ainda descobri casos que nem eu mesmo sabia!” — BOB GALE, COCRIADOR DA TRILOGIA COM ROBERT ZEMECKIS –

“O livro mais esclarecedor e informativo que li . Todo fã de verdade dessa sagrada trilogia deveria ter um.” — Ernest Cline, Autor De Jogador Número 1, Best-Seller Do Ny Times, E Dono De Um Delorean.

21. O Adolescente — Fiódor Dostoíevisk.

O adolescente, publicado em 1875, é um dos cinco grandes romances de maturidade de Dostoiévski, ao lado de Crime e castigo, O idiota, Os demônios e Os irmãos Karamázov. Mesmo sendo o menos conhecido dentre eles — devido à incompreensão da crítica do século XIX, que não entendeu sua estrutura moderna, fragmentária, baseada nas memórias do protagonista — , a obra revela toda a genialidade do escritor, então no auge de seu talento.O livro, narrado em primeira pessoa por um jovem de vinte anos, Arkadi Dolgorúki, apresenta as tentativas deste em ser aceito na sociedade russa da época. Filho ilegítimo de um proprietário de terras com uma humilde serva, criado longe da família, em um internato de elite, Arkadi por fim vai conhecer seus parentes e tentar pôr em execução o plano que maquinou durante seu isolamento: o de tornar-se um milionário, “um Rothschild”, e superar através da acumulação de capital a sua origem bastarda. No entanto, ao se integrar no mundo dos adultos — onde desponta a figura de seu pai, homem dúbio e sedutor — , o jovem acaba por se enredar em uma trama que inclui a luta por heranças, um círculo de intelectuais revolucionários, casamentos por conveniência, chantagistas e uma carta que poderá mudar o destino de todos.Reconhecido como o “romance de formação” por excelência de Dostoiévski, O adolescente ganha aqui a sua primeira tradução direta do russo no Brasil.

22. Beowulf — Tolkien.

A tradução do ‘Beowulf’ — poema épico anglo-saxão, escrito entre 700 e 750 d.C. -, por J.R.R. Tolkien, foi uma obra precoce, muito peculiar a seu modo, completada em 1926; mais tarde ele retornou a ela para fazer correções apressadas, mas parece jamais ter considerado sua publicação. Esta edição é dupla, pois existe um comentário esclarecedor sobre o texto do poema pelo próprio tradutor [Tolkien], na transcrição de uma série de conferências proferidas em Oxford na década de 1930. Da atenção criativa dada por Tolkien aos detalhes, nessas conferências, surge um sentido de objetividade e de clareza em sua visão. É como se ele penetrasse no passado imaginado: postando-se junto a Beowulf e seus homens, sacudindo as cotas de malha ao aportarem com seu navio na costa da Dinamarca; escutando a crescente ira de Beowulf diante do desafio de Unferth; ou erguendo os olhos com espanto para a terrível mão de Grendel suspensa sob o telhado de Heorot. Esta edição traz ainda Sellic Spell, um ‘conto maravilhoso’, uma história escrita por Tolkien que sugere quais poderiam ter sido a forma e o estilo de um conto folclórico sobre Beowulf em inglês antigo, em que não havia uma associação com as ‘lendas históricas’ dos reinos setentrionais.

23. Mulheres de Cinza — Mia Couto.

Primeiro livro da trilogia As areias do Imperador, Mulheres de cinzas é um romance histórico sobre a época em que o sul de Moçambique era governado por Ngungunyane, o último grande líder do Estado de Gaza. Em fins do século XIX, o sargento português Germano de Melo foi enviado ao vilarejo de Nkokolani para participar da batalha contra o imperador que ameaçava o domínio colonial. Lá, ele encontra Imani, uma garota local de quinze anos que lhe servirá de intérprete. Enquanto um dos irmãos da menina lutava pela coroa de Portugal, o outro se uniu aos guerreiros tribais. Aos poucos, Germano e Imani se envolvem, apesar de todas as diferenças entre seus mundos. Porém, num país assombrado pela guerra dos homens, a única saída para uma mulher é passar desapercebida, como se fosse feita de sombras ou de cinzas.

24. Star Wars - Marcas da Guerra — Chuck Wendig.

O que aconteceu depois da destruição da segunda Estrela da Morte? Qual o destino dos remanescentes do Império Galáctico e dos antigos Rebeldes, agora responsáveis pela fundação da Nova República? Marcas da guerra é o primeiro livro do cânone oficial a mostrar o que acontece depois do clássico Episódio VI: O retorno de Jedi, dando pistas sobre o que podemos esperar da nova trilogia que se inicia com o O despertar da Força, a ser lançado nos cinemas em dezembro. Nesse novo panorama galáctico, vamos descobrir que a guerra ainda não chegou ao fim… e que os traumas deixados por ela ainda serão sentidos por muitos e muitos ciclos. Capitão Wedge Antilles, almirante Ackbar, almirante Sloane, o garoto Temmin e a mãe, Norra Wexley, a caçadora de recompensas Jas Emari, o antigo agente imperial Sinjir: novos personagens e velhos conhecidos dos amantes da saga, que sempre estiveram envolvidos na luta, agora devem escolher o lado a que deverão jurar lealdade. Deverão colocar-se ao lado da Nova República, procurando estabelecer um novo governo democrático na galáxia? Ou juntar-se às fileiras imperiais, na tentativa de voltar ao poder absoluto depois das mortes dos lordes Sith Palpatine e Darth Vader?

25. Prince of Fools — Mark Lawrence.

Mark Lawrence novamente cria um anti-herói irresistível. Por que mesmo estamos torcendo por eles? — é uma pergunta comum entre os cada vez mais numerosos leitores de suas aventuras. A resposta, certamente, está no talento com que o autor conduz seus personagens e narrativas. E desta vez, a violência e o rancor de Jorg Ancrath, da Trilogia dos Espinhos, é substituída pela astúcia e charme do Príncipe dos Tolos.

Em comum, as duas trilogias dividem o mesmo cenário, um universo pós-apocalíptico e de inspiração medieval. Se você não via a hora de voltar ao Império Destruído, esta é sua chance, com esta nova saga do universo expandido da Trilogia dos Espinhos.


Espero que gostem e tenham uma ótima leitura e um excelente 2016.

Não se esqueçam de compartilhar, me seguir e seguir o blog para acompanhar as melhores notícias, artigos e resenhas em seu e-mail gratuitamente.