RIO

este fui ao Rio de Janeiro durante o Carnaval e essa com certeza foi uma das viagens mais loucas de toda minha vida!

há alguns anos vivo carnavais: blocos de rua, fantasia e muito brilho, mas esse ano quis viver o Carnaval em uma dos seus pontos extremos: o Rio.

e para começar da única maneira possível, o Rio de Janeiro é maravilhoso! todos os lugares que os olhos alcançam são bonitos tanto por natureza quanto pelo urbano. a cidade foi esculpida em um sítio único e insubstituível.

matando a saudade de casa, encontrei as esquinas, uns dos melhores exemplares que virei, inclusive. saí da liberdade exacerbada, monótona e sem surpresas da capital federal, para encontrar ruas cheias, com cruzamentos vivos e surpreendentes: em toda esquina de Ipanema se vê o mar! tomei cafés da manhã em grandes lojas, almoços em restaurantes escondidos e até fastfoods com uma arquitetura não internacional consegui me sentar. o Rio tem história que suas vias e quadras nos contam sem o menor tédio.

o Carnaval começou e só terminou no ultimo dia, todos os dias eram inúmeros blocos por todos os lados, da Barra ao Centro. a cidade para por quatro dias e todos saem as ruas para se divertirem juntos, de graça e com alguma bebida barata.

conheci pessoas de todos os lados do Brasil e do mundo, conversei em inglês, um falso-espanhol e português, andei do Leblon à Copacabana, Ipanema à Gávea, Aterro à Lapa e Urca ao Botafogo, vivi histórias, perigos, bordões e momentos únicos, beijei da Globo ao Pará, do Brasil à Europa e no final eram ‘três homens homossexuais por dez beijinhos’, em espanhol, é claro.

‘la mantequilla hasta se derrite’, ‘la droguita’, ‘you can go the same place’, ‘solamente espanhol’, ‘maravilhosaMENTE’ e por aí foram os vários bordões que levaram os quatro dias ao som de samba, pagode, funk, axé, marchinha e até sertanejo.

eu poderia escrever por horas as várias histórias do meu carnaval, mas eu só queria deixar escrito em algum lugar o quanto me diverti e aqui é sempre meu refúgio. eu disse que iria fazer desse ano diferente e é assim que quero passar por meu dois mil e dezessete.

viajei com expectativas que sanei e transbordei: o Rio de Janeiro é lindo, apaixonante e surpreendente; fui solteiro e voltei amante de uma natureza exuberante e um urbano livre e vivo.

Like what you read? Give Vinícius Bazan a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.