Empreendedorismo e liberdade

Virgínia Luz

Segunda-feira eu trabalhei em horário comercial. É um dos meus dias favoritos da semana, pois à tarde eu co-facilito o Impulso Materno. Um programa lindo para mães que querem empreender com propósito, conciliando maternidade e trabalho. As horas passam voando e nem parece que estou trabalhando!

Terça-feira eu passei a manhã brincando com meu filho no Sesc e a tarde brincando com ele no parquinho. À noite eu trabalhei na elaboração de duas propostas, a primeira de oficinas para jovens, relacionadas à autoimagem, autoconhecimento, empreendedorismo e criatividade; a segunda de um curso que eu estou desenhando (vem novidade por aí!).

Quarta-feira, dia em que escrevo este texto, eu resolvi algumas burocracias pela manhã e realizei uma reunião à tarde. Agora, com meu filho dormindo, estava resolvendo mais umas pendências burocráticas e refletindo sobre esse meu início de semana… foi aí que bateu uma vontade de registrar esses pensamentos.

Eu sempre relacionei o trabalho autônomo com a liberdade de ser dona da minha agenda. Ou seja, poder fazer exatamente o que eu fiz essa semana: trabalhar em horários alternativos, resolver burocracias sem precisar justificar atrasos para a chefia, marcar e remarcar compromissos de acordo com a minha necessidade/disponibilidade e, após a maternidade, poder passar mais tempo com meu filho, acompanhando seu desenvolvimento de perto.

Só que hoje, eu tive o insight de que esta liberdade vai muito além de fazer meus horários e estabelecer um ritmo que respeite meu corpo e minhas necessidades. Ela está relacionada à propósito, plenitude, parcerias e escolhas. Parece bem romântico, né? Mas é bem real. Explico.

Propósito

Você sabe qual é o seu propósito de vida? Quais são as contribuições que você quer deixar para o mundo?

Eu sempre tive um “cheiro” em relação ao meu, no entanto, nunca havia me aprofundado em buscar a clareza do meu propósito. Eu nunca havia escrito, trazido à matéria, àquilo que eu me proponho a realizar no mundo. Eu buscava e aceitava propostas de trabalho de acordo com interesses e possibilidades de desenvolvimento, no melhor estilo “deixa a vida me levar”.

Hoje, empreendendo, eu entendo que é fundamental ter esta clareza para garantir um bom planejamento e aceitar propostas de trabalho que me ajudem a chegar onde eu quero. A clareza do propósito gera contornos que, à princípio, podem parecer que podam a liberdade, mas eles a potencializam. Trazem à tona a liberdade de traçar sua rota, de desenhar seu futuro, de fazer escolhas conscientes… de tomar sua vida nas próprias mãos.

Plenitude

Também poderia ser “completude”. Eu reconheço que este é um dos poucos momentos da minha vida em que eu estou realizando profissionalmente tudo aquilo que eu me formei para ser, pois finalmente consigo exercer a liberdade de construir meu trabalho com tudo aquilo que eu tenho vontade de aprender, experienciar e ofertar, alinhando talentos e paixões. A sensação que eu tenho é de que até hoje eu abri caminhos e realizei formações dispersas. Agora chegou a hora da convergência, em que todos os meus “eus profissionais” podem se manifestar juntos. E isto só é possível pelo simples fato de que não estou preenchendo uma vaga, eu estou criando o meu trabalho. Quer liberdade maior do que essa?

Parcerias

Nada disso do que eu tenho feito, eu faço sozinha. Eu fundei a Vital Cocriando Sonhos com uma parceira, cocriei o Impulso Materno com outra, estou propondo as oficinas dentro de um projeto de outra parceira, o curso estou elaborando com outra, a reunião que eu tive hoje à tarde foi para elaborar um projeto com outras duas parceiras e assim vai… e sabe o que é o melhor disso tudo? Todas elas são amigas muito queridas e profissionais que eu admiro muito!! Eu tive a liberdade de escolher cada uma delas como parceira de jornada e com cada uma eu aprendo, me relaciono e me nutro de um jeito diferente. ❤

Escolhas

Resumindo todos os pontos anteriores, posso afirmar que nunca tive tanta liberdade de fazer escolhas profissionais (e pessoais) como estou tendo agora. E isso para uma sagitariana é como atingir o Nirvana! Claro que tem o peso da responsabilidade, afinal, se der merda não dá para culpar chefe nenhum hahaha.

Mas quem disse que responsabilidade não tem a ver com liberdade? ;)

Virgínia Luz

Written by

Mãe do Martim, a louca dos gatos e do planejamento. Amo cozinhar e facilitar grupos com a mesma intensidade. Fundadora da Vital Cocriando Sonhos.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade