Eu preciso do teu brilho meu raio de sol
Este olhar castanho
Dê-me tua mão
Passeio de Almas
Em infinitos distantes
Planos traçados
Gravados na imaginação
De te ter
Viver contos de fadas
Escritos por nós amantes
Alucidanos
Embriagados de
Paixão
Jovens
Enérgicos
Percorremos o mundo
A pé
Só pra ter o privilégio
De ver o brilho no olhar
Da Pessoa amada
Riso estrondoso no ar
Tantos beijos
Abraços
Palavras
Carícias
Malicias
No toque
No olhar
O amor sufoca
Retira o fôlego
Os pés do chão
Se desprendem
Ninguém mais depende
Da gravidade
Da razão
Amar é se libertar
É ver o sonhar se realizar
É partir para um mundo
Infinito
Tão bonito
De amores sem fim
Onde o ponteiro do relógio
Regressa
Na pressa
De amar
De novo e de novo
E assim o beijo é sempre novo
O fogo é sempre ardente
E a gente se amontoa pra sempre
Repetir
O amor Enquanto existir
Quantas vezes
Couber E se der
Até pra Exagerar
De tanto amar.