Pode acontecer de você viver.

E você vive.

Mas não vive.

Como se sentisse que quase toda experiência que sente, vive ou presencia faz parte de algo muito maior, e que você tem em mãos é apenas uma parcela miníma disso.

Então como em um espirro você sente tudo de uma vez.

Mas não sente.

Acha que pode lidar com tudo que cai em seus ombros, todo o lixo que é obrigado a encarar em seu cotidiano. Afinal, todos conseguem não é?

Mas ninguém quer.

Você não quer.

E não adianta apelar.

Acredita tanto nessa confusão que no fundo deseja um apocalipse, acredita tanto nisso que acha que vai se sobressair em meio ao pânico, que vai se dar melhor em uma sociedade colapsada do que na atual.

Como um rei do caos, formado e crescido para viver nele.

Mas não é.

Nem nunca vai ser.

Nem quer ser.

Mas quer.

Like what you read? Give Vinicios Souza a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.