Comunicar é compartilhar

Nós podemos nos conectar com outros humanos por muitas maneiras. Olhando, falando, ouvindo, e tocando, pra citar apenas algumas. A forma de transmitir conhecimento pra alguém, é fazer esta pessoa se identificar com o que você diz e da forma que você diz.

A linguagem é uma habilidade extremamente complexa, mas mais complicado do que tentar ilustrar nossos sentimentos e pensamentos em palavras, é um pouco engraçado também perceber como essa mesma linguagem atua nos limitando. Há alguns flashbacks passando em minha cabeça agora, mas não irei conseguir descrever nenhum de maneira propícia. A ideia geral é: se imagine conversando com um amigo; vocês estão em completa sinergia, até que, uma ideia tão estupenda chega à mente dele, e, apesar de você acompanhar seu entusiasmo e sua linha de raciocínio, as palavras que ele profere são dignas de uma construção sintática completamente vil.

Ou então: você esteve acompanhando minunciosamente alguma discussão e esteve refletindo sobre ela por um bom período; e, quando você finalmente constroi seu alicerce argumentativo e discursa sua opinião, todos lhe apontam o dedo, ridicularizam a sua visão ou desprezam sua tese. Será que estão querendo lhe atingir ou será que você não conseguiu expressar tudo o que veio filosofando desde então?

Por que apesar de centenas de boas ideias e pensamentos, às vezes não conseguimos transmitir isso pra outras pessoas?

Eu acredito que nós mesmos nos limitamos. A linguagem, apesar de infinitamente complexa, acaba nos levando para um caminho mais fácil, um caminho mais conhecido e usado durante nossa vida cotidiana. É comum usarmos mais algumas palavras do que tantas e tantas outras. E isso é a famosa falta de prática. Passamos por situações aceitando a miscomunicação e não fazendo nenhum esforço pra trabalhar as nossas habilidades de empatia. É quase como se desistíssemos de atingir outras pessoas por plena preguiça: preguiça de formular melhor as ideias ou preguiça de comunicar os pensamentos de forma diferente.

Empatia. Isso era onde queria chegar com as situações-exemplo que usei anteriormente: por mais que o vocabulário acabe nos limitando, a empatia faz com que sejamos projetados na energia do outro, que nós compreendamos o que a pessoa quer dizer não só com suas palavras, mas com seus gestos, com a coerção de suas frases e com as suas reações perante outras linhas de pensamento.

Se você está vivenciando a falta de compreensão com suas ideias e pensamentos, tente colocá-los de outra forma! Escreva com uma palavra que nunca usou antes, fale eloquentemente, procure por um sinônimo que vai lhe ajudar a transmitir suas ideias com clareza. Se você não costuma fazer uma piada durante suas conversas, faça! Construa frases que você nunca faria e experimente. Experimente e mude. Analise como suas ações impactam na maneira que outras pessoas percebem você.

Trabalhe sua comunicação. Trabalhe sua linguagem. Quanto mais você praticar, melhor você vai ficar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.