tempo (03/2016)

Meu bom pedaço em mim

É o tempo a se gastar

À meia-lua que eu vivi

E vivo pra estar


Sou um pássaro tão leve

Que de leve fui ao chão

Quando a noite não dormi

E passei a vida inteira sem pensar


Esta é minha tatuagem:

Que me pune severa,

Dormente sobre os calos

Desse corpo tão magro.


Está entregue a rosa podre

Pro adeus que vem e espera pra chegar

Já que o pouco tudo de agora

Se perde no tempo a girar

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.