Crítica: Mais Forte Que o Mundo — A história de José Aldo; mostra as ambições e talentos do diretor Afonso Poyart

Cena da primeira luta oficial de José Aldo

Ontem tive o imenso prazer de assistir ao novo filme do Diretor brasileiro Afonso Poyart que conta a história do campeão de UFC José Aldo Junior.
Não vou medir palavras: é uma obra de arte. Obrigatório para qualquer fã de cinema e/ou de lutas.

É muito dificil descrever o que mais chama atenção na obra: se é o aproveitamente total do potencial de cada personagem - demonstrando sua importância sem perder o foco na história, as montagens de cenas, a trilha sonora, os efeitos visuais e sonoros, as cenas de luta e ação, o humor nos momentos certos, o slow motion muito bem calibrado; enfim, muito dificil mesmo.

Afonso dá um show de direção, fotografia e montagem. Usa recursos incríveis para passar informações e emoções com uma primazia que simplemente não existe no cinema nacional, e é muito dificil de ver no cinema de Hollywood. Toda a história é explicada em uma ordem que beneficie a cena, principalmente as partes dramáticas, que acabam sendo potencializadas e fazem o coração bater forte, tornando impossível não repensar em várias questões de nossa própria vida quanto a problemas familiares, situação financeira, oportunidades que a vida nos dá e nossa força de vontade.

Existe todo aquele tema que sempre é abordado nos filmes nacionais: pobreza, favela e crime. Porém, a história não se foca nisso. Muito pelo contrário, quando parece que vão enfatizar um desses temas, a direção rejeita martelar nesses assuntos tão desgastados, mas faz questão de evidenciar os efeitos dos mesmos nos personagens. Mas isso o expectador cria sozinho vendo os pequenos detalhes.

A história foca no drama familiar de José Aldo: pai alcoolatra que batia na esposa, mãe simples e batalhadora, falta de oportunidades das pessoas que moram na periferia de Manaus, e a incansável assombração de fugir de um futuro nada promissor e dos legados terríveis de família.

As câmeras são posicionadas em ângulo e formas incríveis, que dão muito mais perspectiva à narrativa. O roteiro é bem escrito e cria um clima que mistura o real com o psicológico dos personagens.

Enfim, é um filme incrível e que recomendo muito para assistir com os amigos e também com a família. É um filme para quem estuda e aprecia cinema, é para quem gosta de ação, para quem gosta de drama, para quem gosta de humor.

Anotem para o futuro: Afonso Poyart é o novo destaque para o cinema nacional e internacional. E ainda ouviremos falar muito o nome dele e de suas obras.