Dia de Cosme e Damião

Impossível para quem é de Rio Bonito e teve a sua infância vivida nos anos 70/80, não se lembrar nesse dia de Cosme e Damião de dona Dalva. Ninguém em Rio Bonito dava tantos saquinhos de doces quanto ela. Era uma festa sem igual.

Suas aparições na sacada de sua casa, na rua onde as crianças viviam e brincavam diariamente era uma verdadeira loucura. Vinha gente de todo o lugar para aguardar com ansiedade a sua apoteótica aparição distribuindo saquinhos e mais saquinhos, cumprindo assim uma promessa que, naturalmente, havia feito tempos atrás.

Adultos, jovens, crianças disputavam palmo a palmo a distribuição. Eu, pequeno, mas protegido por ser filho de uma amiga dela, aguardava aquele olhar de complacência para correr e apanhar no meio do tumulto o meu saquinho. E tome crianças a gritar como uma espécie de senha:

- Dona Dalva tá dando! Dona Dalva tá dando!

Não sei se há ainda gente distribuindo doces de Cosme e Damião em Rio Bonito. Com certeza sim, mas nunca, em tempo nenhum, como fazia dona Dalva. Até por que eu não estou mais lá para apanhar os meus e é na infância que tudo é grandioso.

Mas Dia de Cosme e Damião era, também, dia de ter uma breve concessão e poder ir à noite, no Centro de Umbanda ao lado da casa de dona Dalva, para assistir, como uma criança que vai a uma peça de teatro, à festa que os umbandistas faziam para reverenciar os dois santos irmãos-gêmeos e ainda o Doum, que segundo a crença, filho de uma empregada de Cosme e Damião que morreu logo após os gêmeos. A gente que era católico, mais por tradição do que por fé, tinha permissão dos pais para naquele dia entrar no terreiro. Um misto de apreensão e medo nos envolvia, por conta das profecias católicas que nos eram ensinadas. Podia assistir, mas era prudente não aceitar nada e nem comer nada. Entrávamos apreensivos, depois assustados quando o portão de entrada se fechava e começava os cantos afros com o bater dos tambores. Depois ríamos e, como detetives, ficávamos a observar se era tudo um teatro ou se eram, realmente, os santos manifestados nos fiéis. Por fim, alegres por ver aquela festa de homens e mulheres a se lambuzar nos doces, andar de velocípede, falar como crianças e, no dia seguinte a sensação de valentia: “Eu tive coragem de assistir ao ritual”. O que muitos não iam por medo ou preconceito.

O certo é que dia de Cosme e Damião é dia de festa.

ORAÇÃO A SÃO COSME E SÃO DAMIÃO

Amados São Cosme e São Damião,
 Em nome do Todo-Poderoso
 Eu busco em vós a bênção e o amor.

Com a capacidade de renovar e regenerar,
 Com o poder de aniquilar qualquer efeito negativo
 De causas decorrentes
 Do passado e presente.
 Imploro pela perfeita reparação
 Do meu corpo e
 Dos meus filhos
 ( ………….) — nome dos filhos
 E de minha família.
 Agora e sempre,
 Desejando que a luz dos santos gêmeos
 Esteja em meu coração!
 Vitalize meu lar,
 A cada dia,
 Trazendo-me paz, saúde e tranquilidade.

Amados São Cosme e Damião,
 Eu prometo que,
 Alcançando a graça,
 Não os esquecerei jamais!
 Assim Seja,
 Salve São Cosme e Damião,
 Amém!

Like what you read? Give Vinícius Martins a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.