Não tente me rotular

Eu não sou um produto que se classifica, se vende e se consome

As pessoas estranham quando você é quem você realmente é. Chega a ser complicado entender porque a liberdade de escolha e de comportamento provoca o nosso meio social. Talvez seja um resquício do passado, alguma reação arcaica impregnada nas relações humanas.

Eu sempre digo que não me interesso pelo sexo das pessoas, eu me interesso pelas pessoas. Por que limitamos nossas relações quando podemos amplia-lá e nos conhecermos mais e melhor? Por que me rotulam diariamente? Por que tentam me colocar em um grupo ou em outro, ficam na dúvida se sou isso ou se sou aquilo?

A minha resposta a todos vocês que ainda não me entenderam é: eu sou mais eu, eu sou a minha essência e a minha essência não tem limitações. Eu não respeito padrões, eu não nasci pra viver com um cabresto, eu quero evolução, inovação e renovação diária. Vinicius nunca esteve pronto, e jamais estará.

Se você ainda está tentando me rotular saiba que irá errar, e irá errar muito feio. Não achem que estão preparados pra dizer o que as pessoas são só porque você segue uma visão da década de 50, não ache que só por ser rotulado você tem o direito de julgar as pessoas e agir de forma preconceituosa.

Liberte-se e amplie sua visão de novo mundo. A humanidade está em constante mudança, mude-se.

E como eu disse:

Não sou um produto para você me rotular