Cheguei

Não avisei

Bem eu simplesmente

Me criei

E assim vivi

Passeei por aí

Aqui e ali

A minha marca deixei

E de tudo um pouco

Eu resolvi fazer

De tudo um pouco eu quis aprender

Eu nunca me toquei

Que não adiantava guardar

Tudo o o que conquistei

De debaixo do colchão eu tirei

E pelas ruas eu espalhei

Versos

Cantigas

Histórias

Minhas riquezas

As de ouro eu doei

Se me lembro bem

Um menino do armazém eu ajudei

E de pouco fiz o que fiz

Pois então fui

Do mesmo jeito que vim

Sem avisar

Sem pestanejar

Só espero que alguém vá notar

Porque isso é o que eu quero deixar

Um motivo para alguém se lembrar

Da pessoa que veio

Sem avisar

Mas que foi anunciando sobre a vida

Que deixou seu lugar

Like what you read? Give Vinnicius de Sousa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.