Com mais de 40 atividades, Virada Coletiva acontecerá nos dias 28 e 29 de novembro

Reflexo da atual e cada vez maior rede de produção cultural local, a primeira Virada Coletiva é uma ação de nove coletivos e espaços culturais de Jundiaí em parceria com a Secretaria de Cultura. Ao todo, Ao todo, serão mais de 24 horas de programação com mais de 40 atividades distribuídas nas sedes dos coletivos e em espaços públicos nos dias 28 e 29 de novembro.

Desde maio, representantes dos grupos e do poder público se reúnem em encontros mensais para pautar e discutir ações que contribuam com o desenvolvimento da cena cultural local.

“É uma maneira de democratizar e universalizar os bens culturais da cidade, promovendo reflexões acerca do nosso cotidiano e colaborando com uma sociedade mais igualitária”, diz Jean Camoleze, Diretor de Cultura.

Assim, tendo a sociedade como protagonista do espaço público e das ações culturais, a Virada Coletiva quer ampliar o acesso e a participação da população na cultura da cidade. Para isso, políticas públicas têm sido efetivadas por meio da mobilização popular com o objetivo de afirmar e fomentar o que está sendo produzido.

Ateliê Casarão, Ateliê Lelê da Cuca, Ateliê Plano, Casa Colaborativa, Cineclube Consciência, Coletivo Coisarada, Coletivo Confluências, Itinerâncias 493 (Casa493) e Quitanda das Artes formam a equipe responsável pela organização do evento.

Com programação diversificada, essa será a primeira vez que uma virada cultural seguirá noite adentro em Jundiaí — um festival de música acontecerá durante a madrugada no Clube 28 de Setembro, no Centro. No dia seguinte, o trecho da Av. 9 de Julho próximo à Galeria de Arte Urbana será ocupado por apresentações, intervenções e gastronomia a partir do meio-dia.

A programação completa será divulgada no dia 3 de novembro e traz outros artistas, grupos e iniciativas jundiaienses de cultura. Acompanhe a página da Virada Coletiva para mais informações.