Abraçando o novo

A maior diferença entre o Vale do Silicio e o Brasil? Na verdade quero estender a área geográfica um pouco mais e me aventurar a descrever a Bay Area inteira, ao invés de apenas o Vale.

A inovação e a aversão ao tradicional esta muito mais enraizada na mente dos habitantes da área do que apenas o fato de existirem diversas empresas de tecnologia na região. É preciso entender que essa região vem desconstruindo padrões, há muito tempo. É impressionante como as pessoas estão abertas ao novo. Desde os vinhos que são produzidos em Napa Valley, bastante inovadores em sua produção, passando por movimentos artisticos e culturais, até chegar na área de tecnologia que vem aumentando exponencialmente desde antes do século XX.

Muito se fala sobre o mindset da região, o que acaba sempre caindo na área de tecnologia, mas acredito que seja mais importante o entendimento em relação a abraçar o que é novo. Estar nessa região é encontrar pessoas de todo o lugar do mundo, e não apenas por conta do movimento de startups, mas a imigração em massa a partir dos anos 60, proporcionou a essa área uma mistura cultural sem precedentes. Em São Francisco está localizada a maior Chinatown do mundo. No bairro da Mission existem uma centena de famílias latinas. São tantas culturas diferentes coabitando o mesmo espaço, que encarar o “diferente” é uma tarefa diária. É almoçar Tikka Masala e jantar Pho.

Outro fator bastante diferente na região é o empreendendorismo, mas não apenas na área de tecnologia. Um exemplo disso é que não se vê tantas redes de fast food como em outros lugares nos Estados Unidos, sem contar com o Starbucks, porque tropeçou, caiu em cima de um Mochaccino. É uma área cheia de pequenos empreendedores, pequenos restaurantes, delis, lojas de roupas. Em sua maioria imigrantes, que se arriscam, e querem entregar o que há de melhor para seus clientes. Na startup em que trabalhei, dos 15 funcionários, pelo menos 5 tinham outros trabalhos. Não estou falando de trabalhos para completar a renda, e sim de projetos pessoais, de sonhos que estas pessoas perseguem. Todos querem ter um negócios para chamar de seu.

A idéia de uma sociedade cooperativa e colaborativa é intrínseca aos valores dos moradores da região. Não é apenas de networking através do Linkedin que as relações aqui são feitas. É no meio da noite você ir ajudar um vizinho, ou lutar pelo direitos das pessoas se manterem em suas casas. É a importância que todos dão a vida humana. É a junção de pessoas que querem transformar o mundo num lugar melhor para todos. A comunidade aqui tem força. E eles levam isso muito a sério. Inclusive redes sociais que aproximam vizinhos e pessoas com mesmos interesses, crescem cada dia mais.

Outro ponto importantíssimo é o acesso a educação de qualidade. As faculdades da região estão entre as melhores do mundo, Berkeley, Stanford, Caltech. Fora a possibilidade de estudar nessas universidades sem quebrar a sua conta bancária. Ter acesso a cursos rápidos com os melhores profissionais da área. Conseguir assistir palestras com ganhadores de prêmios Nobel. Ver a importância de se educar sempre.

Apesar desse burburinho de inovação, eventos acontecendo todo o tempo, muitas pessoas na rua, andando no transporte público, skates elétricos, não se escuta tantas buzinas. As pessoas são muito respeitosas. É ter a paciência de quando uma pessoa fechar o cruzamento, você não precisa apertar a buzina como se não houvesse amanhã. Simplesmente esperar o pedestre atravessar a rua, principalmente nos dias de chuva, sem achar que isso é um grande favor.

O que eu gostaria de levar para o Brasil? Tudo. Respeito e colaboração principalmente. Que o novo, ou mesmo aquilo com o que você não concorda deve ser respeitado. Perceber que aquilo que está bom pode ser melhor, e nada melhor que a ajuda de colegas. As pessoas juntas conseguem mover o mundo. É isso que eu vejo aqui e desejo ver aí :)