Eu escolhi ser gay

Escolhi ser gay aos 19 anos.

Embora tenha nascido gay e, portanto, tenha sido desde sempre assim.

Eu nasci gay, mas só pude me tornar gay após muito tempo. Após todos os anos em que fui gay mesmo sem ser gay.

Só pude me fazer gay enfrentando toda a sorte de relutância de setores reacionários da família.

Para, hoje, ser gay, eu me tornei gay um pouco a cada dia.

Me tornei gay ao achar em um primeiro momento que eu não podia ser assim.

Me tornei gay, quando tive meu primeiro relacionamento hetero, que, embora se cochiche por aí, nunca foi algo de fachada. Era apaixonado à época, ainda que isso não me impedisse de ser o que eu realmente era. Gay.

Eu me tornei gay, quando pela primeira vez, aceitei que poderia sentir atração pelo mesmo sexo que o meu. Ainda que nesse primeiro momento ainda achasse que eu era, na verdade, bi.

Me tornei gay quando me intrometi no meu primeiro encontro com um menino, seguido do primeiro beijo e de um namoro. Que permanece até hoje.

Me tornei gay quando contei aos poucos e de um a um que eu era justamente isso, gay.

Gay me fortaleci ao me colocar na empreitada de morar junto com meu companheiro, sendo gay.

Gay hoje sou e gay, ainda hoje, continuo me construindo a cada dia.

Embora nascidos gays, nos tornamos mais gay a cada dia. Sempre que conseguimos desfazer as amarras que a sociedade nos impôs. Sempre que lutamos contra nós mesmos, por ter sido colocado em nossas cabeças que o que somos é errado.

A construção gay é diária.

Possamos nós, portanto, ser mais gay a cada dia.