Que seu trono de privilégios queime seu traseiro

Tô aqui sentado no meu trono de privilégios e ainda assim consigo me pegar, às vezes, reclamando de coisas pequenas.

Pô, garoto! As coisas não funcionam assim. Sua vida é fácil e, se parece difícil pra você, é que você não sabe de nada. Você não sabe de nada!

Você reclama que não tem tempo, mas pelo menos não tem tempo porque faz o que gosta. Tem gente que não tem tempo porque passa 5 horas todos os dias se locomovendo pro trabalho. Você não sabe de nada.

Seu emprego é longe? Pelo menos você tem um. Você é viado? Pelo menos é viado branco, numa cidade grande, nunca vai entender o que é ser viado preto no interior desse Brasil. Não tem dinheiro pro lazer? Pelo menos você tem algum lazer, mesmo que não o que havia idealizado.

Pô, a gente precisa se inquietar sempre com a nossa situação. Querer sempre melhorar. Mas acorde agradecendo todos os dias, garoto.

Esse seu trono de privilégios foi construído a custa de muitos outros que não terão a oportunidade de sentar tão cedo em tronos assim. Você não sabe de nada.

Use esse seu traseiro que não descola desse trono para mudar essa realidade, mesmo que minimamente. Porque é muita fácil ficar ai sentado, nesse seu troninho de privilégio, reclamando do nada que te incomoda, enquanto o mundo lá fora tá se destruindo, sendo governado pelos mesmos homens brancos-héteros-cis e matando a galera longe do centro. Exploração e opressão.

Você não sabe de nada e, ao não saber nada, faz parte da destruição.


Toda sexta, escrevo um “trechinho de ônibus” que posto aqui. Sobre qualquer coisa que vem na cabeça e sem me preocupar com qualquer coisa.