nostalgia

Como pode depois de tanto tempo sem nos falarmos eu ainda sentir saudades de você? Ops, espera! Não, você não! O seu antigo “eu”, aquela pessoa que eu costumava conhecer, aquela pessoa que eu achava que conhecia, eu sinto falta dela… Eu sinto falta de rir sem parar nas madrugadas com ela, de contar do meu dia a dia, eu realmente sinto falta, mas eu sei que tudo passa, e que o tempo, ah, o tempo é rei, e daqui pra frente espero não sentir mais nada quando me lembrar dela, nada mesmo. Como a vida é louca, né? Há dois meses planejávamos nosso futuro, hoje te desconheço e continuo aqui e sabe lá Deus como você está aí, mas pelo que as pessoas insistem em me dizer: você está bem. Queria eu que às vezes certas pessoas se tocassem que sobre a sua vida eu não tenho mais nada a ver e não me interessa saber nem um pouco, mas as vezes sei que ainda é difícil pra elas compreenderem isso, então abstraio. Achava que tu era o amor da minha vida (antes queria que fosse), agora não quero mais nada teu. Como tu foi filha da puta comigo, como tu pôde? E o pior é que tu sempre resolve voltar quando ta ficando tudo bem na minha vida, só pra me atentar. Pena que agora eu conheço todos esses seus joguinhos e sei que tu só faz isso pra ter alguém caso tudo dê errado contigo, mas saiba que eu CANSEI.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.