O casamento e o (des)Encontro no Jornal Nacional.

Essa semana entrará pra história. Mais um casamento que se desfaz. Mais uma história que não mais será contada à dois. A vida de ambos continuará, é verdade. Um pode estar mais ferido, mais triste, mais angustiado que o outro, mas ambos perdem. Perdem as manhãs que acordaram juntos. Os cafés que tomaram juntos. Os jornais que ajudaram a escrever, não irão mais nem ler juntos. Perdem a companhia um do outro.

Enquanto isso, o Jornal Nacional, noticiará que o Encontro entre Dilma e o Brasil acabou. O de Fátima e Willian também, mas esse não vai ao ar.

Tem gente que faz piada e eu até entendo, afinal não está enxergando onde estão as dores.

As dores ficam pros filhos.

Que no início ficam perdidos, com vergonha do povo de fora. Sem saber o que fazer. Pra onde olham, vêem coisas que machucam.

Textos. Fotos. Vídeos.

Fiquem calmos. “Isso também passará.” Eu só penso que nada é à toa e com o tempo, tudo irá se resolver.

Desejo o melhor para seus filhos, pois como filho do Brasil, não posso fingir que não tá doendo e como pai, não posso deixar de pensar nos filhos de Fátima e Willian.

Não estou aqui pra falar de política, muito menos fazer fofoca de famosos. Quero apenas falar como marido e como pai. Estou aqui pra defender a família. Seja ela como for!

Sou marido e sei das dificuldades de um casamento. Na verdade, as dificuldades são da vida e acaba sobrando pro casamento.

Sinceramente, quero dizer que acredito no casamento. Acredito em escolhas. Já ouvi dizer que “…escolher é abdicar e abdicar é perder”. Será que no caso do casamento é mesmo uma perda? Pensa comigo.

Ganhei uma amiga inseparável. Ganhei uma boca pra comer meu macarrão. Ganhei uma companhia pra dividir uma cerveja. Ganhei um ombro pra chorar. Ganhei um colo pra deitar. Ganhei uma sócia, pra todos os negócios. Ganhei a mãe do meu filho. Ganhei o meu filho. Tá, tudo bem. Com isso também ganhei uma menstruação por mês, é verdade…hahahahaha. Não tem problema nenhum, depois que passa a paixão pega fogo de novo. Ganhei mais dois olhos, duas pernas e duas mãos. Ganhei mais um par de ouvidos pra escutar meus devaneios. Ganhei de verdade, uma outra vida pra viver ao mesmo tempo. Isso sim é um presente.

Estou casado há 7 anos e só penso que isso não é nada ainda.

Ao seu lado quero envelhecer, peço a Deus que isso seja inevitável.

A foto acima, é de um dos casamentos que fotografei e o casal representa a esperança.

Com minhas palavras não pretendo julgar as separações e muito menos condenar quem toma essa decisão. Uma unha encravada só dói em um pé! Se não for o meu, não posso falar.