A corda

Você soltou nossa corda e me disse que queria ir sozinha, tô te vendo por aí esbanjando felicidade, atirando para todos os lados, e não dando a mínima para o meu sofrimento. Você está sendo cruel, o mesmo anjo que me salvou, agora me jogou novamente nas ruas escuras. É impressionante o que o tempo faz, eles transformam as pessoas em algo que nunca imaginamos que elas seriam, ou eu estava cega esse tempo todo.

Você tem pisado no meu coração, jogou ele no chão, tá cuspindo, tá pisando, tá rindo. Tá fingindo que não tá nem aí, cadê todo aquele amor que você dizia sentir? Os textos bonitos, os gestos sinceros, você jogou tudo isso no lixo. E não, não ache isso bonito, ninguém tem direito de magoar ninguém, espero que seu ego não suba sabendo que alguém sofre por você, porque tudo que vai volta.

O mundo dá voltas, hoje sou eu por baixo, amanhã estarei por cima, mais forte e indestrutível. Você me deixou para morrer diante dessa forca, não sei se me enforco, se continuo segurando mesmo com as mãos sangrando, ou se simplesmente solto, sem saber o que tem depois, e deixo isso ir.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.