Não é mais

Despi as roupas,

para não despir a alma, e não foi para chamar sua atenção,

foi para chamar a minha, que tava tão isolada, nem tudo é sobre você.

Mudou-se daqui, de mim,

Foi, pode ir,

Não tem problema não, casa bagunçada, a gente arruma, brilha,

E renova.

Eu amo uma memória, de alguém que você foi, e não é mais.

Saiba que você também mudou,

Tá se enchendo de coisas, achando que vai transbordar, mal sabe você que uma hora vai perceber que continua a se afogar.

Mas tudo bem, outro dia vai e outro vem, eu cansei de ser refém de alguém que quase nem lembra mais o meu nome e some.

Depois de ontem eu vi, é hora de sair daqui, de sumir e rir. Não adianta amar quem não está nem aí.

Ela se foi.
Like what you read? Give Vitória Constance a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.