pela paz

a tua memória

inesgotável

deste jeito te enxergo

vivo contigo

sei que estás por perto

a tua memória,

a mais doce

enxergo a horta

enxergo o teu olhar em meio

a colheita de tomate

enxergo o teu sorriso tímido

enxergo o teu crespo cabelo

quando olho o meu no espelho

te vejo

te sinto

porque de alguma forma

tu aqui estás, lado a lado com a minha felicidade

te vejo ao longe

com aquela sua calça de linho

e aquele bolso de fundo só em uma linha e um botão. só

enxergo e acho incrível, grandioso o seu medo de trovão

em trovoadas te avisto todo embrulhado, dos pés a cabeça

naquele quarto sem janela

só com a vida e o teu brilhar

e eu na porta

alegrando o teu dia e tu alegrando o meu

o que se é, de fato?

te enxergo toda vez que me deparo com o bem

tu estás onde todo amor brota, na fonte

no percurso

e no fim de todo amor que não se finda

porque a tua memória é viva

aprendi sobre o amar e amar verdadeiramente

pela tua memória

pelo grande homem que tu foste,

e que tu és nos meus dias saltitantes

te vejo calmo

mato bem verde quando chovia lá na horta

erva de chá

estrela na noite que brilha

quando vejo o amor eu te encontro

tua imagem sempre a me esperar

no passeio de casa,

sentado no chão, sem camisa e bem vivo

tua presença me espera em todo chão onde houver amor

em todo chão que ousarei caminhar

a tua presença é o meu ponto de verdade

onde eu te sentir, eu estarei.

te vejo, te sinto,

a tua memória é viva em mim

quando me olho no espelho

te vejo pelos meus olhos

e sempre te vejo de uma forma nova,

porém grandiosa

como o teu corpo, o teu amor

o teu estado e estadia por aqui.

passageiro fiel do trem da minha vida.

lado a lado semear amor de vô, de companheiro.

te reconheço

obrigada por sempre estar perto,

desde tua ida.

descansa,

eu aprendi a lição de viver pela paz,

com amor e veracidade

sempre quando trovejar

eu lembrarei de tua calma.

e ela será a minha paz.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Vitória Maria Masé’s story.