O que é Marketing Digital e o que você pode esperar para o futuro do mercado empreendedor

O que é Marketing Digital?

Você provavelmente já sabe a resposta para essa pergunta, afinal, há mais de 10 anos essa tem sido uma das estratégias de Marketing mais utilizadas para se obter sucesso.

Mas sempre há algo novo para se descobrir sobre um assunto tão dinâmico quanto esse!

Pense em praticamente qualquer assunto que você deseje aprender e você poderá encontrar essas informações em uma simples pesquisa no Google.

Você pode até mesmo ter chegado a esse artigo digitando na caixa de pesquisa a pergunta: “o que é marketing digital”.

Meu ponto é: a informação é abundante e disponível a quem deseja como nunca se viu antes, não importa o assunto, indo de temas como política, religião e esportes a informações sobre produtos e serviços.

Se a informação é abundante em todas as áreas, e isso é algo extremamente positivo, ela também se torna mais difícil de ser encontrada no meio de tamanha oferta. E é aí que surge a importância de saber o que é Marketing Digital.

Marketing nada mais é do que criar uma conexão com um determinado público-alvo para identificar necessidades e desejos e oferecer as soluções mais adequadas.

E o que é o Marketing Digital? É a reunião dessas estratégias de marketing porém feitas de forma online.

Existe uma discussão entre aqueles que acreditam que Marketing Digital é toda estratégia de marketing que inclui aparelhos eletrônicos, como TV e rádio e não somente àqueles que estão de alguma forma conectados a web.

Porém, acredito que a internet seja sim a tecnologia que justifica a existência do Marketing Digital. Portanto esse artigo irá focar em estratégias e táticas voltadas para o ambiente online (apesar dos seus efeitos no mundo offline também).

Então, se você quer saber o que é Marketing Digital e deseja aprender mais sobre esse assunto, continue lendo esse artigo porque nele nós vamos falar mais sobre:

O que é Marketing Digital e a sua importância

Ficamos conectados grande parte do nosso tempo na internet, seja conversando com amigos, consumindo conteúdo ou jogando online.

Ficou muito mais fácil conquistar seu público-alvo, pois não importa a que nicho de mercado seu consumidor pertence, ele certamente estará online também.

Não só ele: mas seus amigos, parentes, colegas de trabalho, praticamente todo o seu círculo social.

E essas pessoas também estarão dividindo impressões sobre produtos que compraram e se são clientes satisfeitos de uma marca ou não.

Um dos maiores benefícios de quem usa canais de marketing digitais está na facilidade de medir o impacto de cada um desses canais, como quantos visitantes de um site se tornam compradores, tornando possível identificar quais trazem mais resultados e por isso merecem maior investimento.

Através desses dados, você pode descobrir:

  • Quais canais possuem a melhor relação custo-benefício para a aquisição de clientes, baseando-se na taxa de conversão e no custo de aquisição de cada um desses leads.
  • Quais canais são mais eficientes não só para atrair consumidores mas para gerar recompras (como o email marketing), criando uma base de clientes fiéis.
  • Quais consumidores demonstram maiores chances de comprar outros produtos seus de categorias superiores através do engajamento dessa parcela de clientes.

Mas afinal, Marketing Digital e Inbound Marketing são a mesma coisa?

No último artigo “O que é Inbound Marketing? A estratégia mais eficaz para fazer com que os clientes venham até você (gastando até 62% menos)” eu falei um pouco mais sobre essa estratégia que é bastante conhecida por ganhar o interesse das pessoas ao invés de interrompê-las, como as ações associadas ao Outbound Marketing.

Porém, o Inbound Marketing é frequentemente associado ao Marketing Digital como se fossem nomes diferentes para a mesma coisa.

E o que é Marketing Digital?

O termo Marketing Digital não trata somente de táticas para ganhar atenção das pessoas. Ao contrário, o Marketing Digital usa as ferramentas de Inbound e de Outbound Marketing. Se essas ações são executadas dentro do contexto online, estão incluídas debaixo do guarda-chuva do Marketing Digital.

O Marketing Digital envolve algumas atividades como:

  • Gerar valor através do Marketing de Conteúdo;
  • Criar relacionamento com audiência através do Email Marketing;
  • Aumentar alcance usando SEO (Search Engine Optimization);
  • Melhorar o lado social através da Gestão de Mídias Sociais;

As atividades de Marketing Digital ainda podem incluir o remarketing, anúncios em redes sociais e mecanismos de busca, uso de banners, push notifications, mala direta via email e qualquer outra tática de Outbound Marketing usada no meio digital.

O objetivo do Outbound é colocar a mensagem na frente da audiência, do maior número de pessoas, quer elas queiram ou não, quer elas gostem ou não.

E apesar de serem muito menos eficientes e custarem bem mais do que as práticas de Inbound, elas podem sim fazer parte do seu plano de marketing digital, desde que você use o bom senso e não irrite sua audiência.

Mas, sem dúvida, o maior benefício do Marketing Digital é obtido quando você decide fazer com que o público venha até você e não o contrário.

E para fazer isso você precisa gerar real valor através da produção de conteúdo de qualidade, seja o seu cliente o consumidor final ou outras empresas.

O que é Marketing Digital B2B x B2C

O marketing eficaz é sempre feito para pessoas, não importando se você atua no mercado B2C (Bussiness to Consumer) ou B2B (Bussiness to Bussiness). No entanto, não podemos dizer que não há diferença nas estratégias de marketing digital para esses dois mercados.

Ao contrário do marketing B2C , que tem como foco atingir o consumidor final, o marketing B2B

foca na relação entre empresas e como alcançar de forma mais efetiva os clientes empresariais.

No mercado B2B você precisa atingir compradores profissionais, muito mais céticos e bem informados.

Os compradores das empresas já conhecem muito bem suas necessidades e já possuem ideias pré concebidas sobre o que desejam.

Se a sua empresa atua no mercado B2B, seus esforços de marketing digital estarão muito mais concentrados na geração de leads para que no final do processo, ou seja, quando esse lead chega no fundo do funil de vendas, ele seja direcionado para o time de vendas.

Por esse motivo, o papel do Marketing Digital B2B é atrair e converter leads qualificados para seus vendedores através dos seus principais canais de marketing, especialmente no seu site/blog, o canal mais importante para empresas que vendem para empresas.

Além do seu site, uma das redes sociais mais importantes para os negócios B2B é o LinkedIn, já que boa parte dos compradores profissionais se encontra nesse ambiente online.

Vídeos e podcasts são excelentes formatos de conteúdo para o mercado B2B.

Faça um canal no YouTube para que sua audiência para fazer vídeos sobre tendências do seu nicho de mercado, lançamento de produtos e serviços.

Por outro lado, se o seu negócio é voltado para o consumidor final, você pode fazer com que o lead passe pelo funil de vendas até o momento da compra sem precisar ter nenhum contato com uma equipe de vendas.

O processo B2C pode ser resolvido em minutos com apenas uma procura no Google por um produto e alguma olhada rápida em reviews.

A jornada de compra, nesse caso, é muito mais rápida, o que permite que você fale sobre seus produtos e serviços para a audiência mais rapidamente e precise apostar em boas copys, gatilhos mentais e calls to action em seus conteúdos para fazer mais vendas.

Redes Sociais como Instagram e Facebook são muito melhores para complementar a sua estratégia de Marketing Digital voltada para o público final.

Diferentes estratégias, para diferentes públicos. Porém, não é só isso que muda com relação ao Marketing Digital. Até mesmo o tradicional mix de marketing e seus 4Ps sofreram alterações na era digital.

Mix de Marketing na era Digital: a evolução dos 4Ps para os 4Cs

A forte massificação da internet a partir de 1990 promoveu um impacto no mix de marketing.

Consumidores mais bem informados, mais uma vez provocaram mudanças no mercado e uma delas certamente aconteceu com os 4Ps do mix de marketing.

O modelo criado nos anos 60 não deixou de ser necessário, porém as novas necessidades abriram espaço para os 4Cs, que, criados por Robert Lauterborn, são uma espécie de evolução dos 4Ps.

Cliente

A orientação original do P de Produto estava, como o nome já indica, na empresa e não no público. Eu tenho uma solução que eu considero boa e eu procuro um mercado para ela.

Hoje, o caminho ideal consiste em verificar qual necessidade não atendida existe no mercado e somente depois criar e oferecer uma solução, que pode até mesmo ser um MVP (Minimium Viable Product).

O foco muda 100% do produto para o cliente. Uma empresa precisa vender um produto ou serviço que atende exatamente aquilo que o consumidor precisa.

Portanto, conheça a sua persona, seus desejos, medos e objeções para oferecer uma solução quase personalizada.

Essa é a grande diferença entre o P de Produto e o C de Cliente.

Custo

O preço já não é mais o único valor inerente à compra de um produto ou serviço, sendo necessário levar em consideração o custo de oportunidade.

Ponha na balança tudo que o seu potencial cliente terá que investir para, no fim, usufruir do benefício que você oferece.

Isso inclui gastos com transporte até sua loja, estacionamento, pacote de internet, tempo envolvido no processo de compra, no uso do produto ou serviço e muito mais.

Comunicação

A comunicação no lugar do P de promoção, é cooperativa e não manipuladora, nem mesmopersuasiva.

Manter o diálogo aberto com os consumidores e potenciais clientes permite a criação de produtos e serviços muito mais alinhados a suas reais demandas.

Dentro do conceito de comunicação, o conteúdo é parte importante do mix de Marketing Digital e a melhor forma de vender, pois há um geração de valor não só para a empresa mas também para o cliente.

Ao invés de interromper sua audiência para vender, você oferece conteúdo informativo e divertido, de forma gratuita, cria conexão, gera confiança e produz resultados muito superiores de vendas com investimentos expressivamente menores.

Conveniência

A conveniência implica que o produto deva estar disponível prontamente para os consumidores, exigindo que eles sejam oferecidos em diversos pontos de distribuição.

Um exemplo de conveniência é a opção de compra de livros digitais. Assim que o pagamento é aprovado, você tem acesso imediato ao produto, sem precisar esperar dias para a encomenda chegar na sua casa ou ter que se deslocar até uma livraria física para adquirir o produto.

Ideias criativas de marketing digital das grandes empresas

O Marketing Digital é uma estratégia ao alcance de todos os tamanhos de negócios, dos menores com orçamentos mais restritos aos maiores com muito dinheiro à disposição para investir no que for necessário para aumentar o alcance.

Mas no final, todos estão disputando a atenção do público-alvo das maneiras mais criativas possíveis, fazendo um balanço entre a proposta de valor e a personalidade de marca para atrair e engajar cada vez mais consumidores.

A seguir vamos conhecer ações de marketing digital de algumas das maiores empresas do mundo e que você pode também se inspirar para usar em seu próprio negócio.

Criatividade em um mercado complexo

A GE (General Eletric) é um excelente exemplo para mostrar que o marketing B2B pode ir muito além das estratégias tradicionais e até mesmo pouco criativasque boa parte das empresas desse mercado utiliza

A empresa aposta muito no poder do conteúdo e produz web séries, revistas online e podcasts.

Usando a tagline “imaginação no trabalho”, a GE conta histórias sobre seus bastidores, especialmente sobre novas pesquisas em áreas relacionadas à aviação, remédios para câncer e até o clima. E o conteúdo desses relatórios é tão bom que costuma viralizar em fóruns como o Reddit.

Ao tratar de assuntos complexos e científicos com uma abordagem mais humana, a GE consegue o engajamento das pessoas de uma forma pouco frequente no mercado B2B.

Sua série de ficção em formato de podcast, chamada de “Life After”, onde um agente do FBI mantém conversas com sua esposa falecida através de uma tecnologia avançada, é um grande exemplo de branded content que está fazendo um enorme sucesso e provou ser uma excelente tática de Marketing Digital.

Conteúdo interativo e personalizado

A BBC colocou em prática uma das melhores formas de engajar a audiência: contando com a sua colaboração na produção de conteúdos.

Cerca de 78% das consumidores estão mais abertos a construir relacionamentoscom marcas que publicam conteúdos da audiência, como também faz a Go Pro.

Com o infográfico chamado “Your life on earth” (Sua vida na Terra), onde você pode personalizar o seu próprio infográfico colocando seus dados como data de nascimento, sexo e altura.

Com essas informações, fatos curiosos de como e quanto o mundo mudou no seu período de vida, mostrando várias estatísticas e insights.

Os influenciadores e o Marketing Digital

A plataforma Get Response investe pesado no Marketing de Conteúdo, seja através dos posts publicados diariamente em seu blog, banners estratégicos colocados nos lugares certos e vários materiais premium como ebooks para capturar mais assinantes para a lista de emails.

Mas eles foram além e conseguiram usar influenciadores do seu nicho de mercado para avaliar e gravar depoimentos sobre seu produto, colocando tudo isso em seu site.

Estudos de caso e testemunhos de clientes satisfeitos funcionam muito melhor que excelentes técnicas de copywriting. Se essas pessoas forem influentes, verdadeiras autoridades então, melhor ainda.

Para conseguir o mesmo resultado você não precisa necessariamente contratar os maiores YouTubers do Brasil, até porque seu público pode nem se identificar com essas pessoas.

Ao invés disso, mostre seu produto ou serviço e ofereça-o gratuitamente para pessoas-chave do seu mercado e que possuam alguma autoridade, mesmo que sua audiência não seja gigantesca.

A internet das coisas e o impacto no Marketing Digital

A internet das coisas é o termo usado para definir a conexão de aparelhos eletrônicos de uso diário (não só computadores e celulares) com a internet.

Nesse caso estamos falando de TVs, carros, cafeteiras, banheiras, geladeiras, lâmpadas e qualquer outro aparelho que não necessita de internet para cumprir sua função, mas que em um futuro bem próximo estará também conectado, abrindo novas possibilidades para estratégias de Marketing Digital.

Esses aparelhos podem transmitir e coletar informações através de Bluetooth, beacons e armazená-los na nuvem. Hábitos de consumo e comportamento do consumidor registrados e disponíveis para uso de quem trabalha com Marketing Digital.

O Marketing Digital 100% baseado em dados é o futuro do marketing.

Imagine uma máquina de chocolates e salgadinhos, iguais a essas encontradas no metrô, que consegue se comunicar através de internet com os fornecedores, avisando quando o estoque de produtos está baixo ou mostrando quais desses produtos são mais consumidos e em que horários?

Especialistas na área afirmam que até 2020 teremos cerca de 13 bilhões de aparelhos conectados à internet, não só facilitando a experiência do usuáriocomo também das empresas.

O Marketing Digital do futuro irá não só promover soluções focadas em dados demográficos e psicográficos do público-alvo, mas irá oferecer produtos personalizados para cada consumidor.

Esse pode até parecer um futuro distante, mas algumas empresas já estão começando a colocar em prática a internet das coisas e assim potencializando suas estratégias de marketing digital.

Produtos como mídia

Imagine produtos que podem ser usados para vender a si mesmos. Confuso?

Produtos conectados à internet podem não só serem ferramentas de marketing, mas também de vendas.

Se você vai lavar suas roupas e percebe que seu sabão em pó acabou, garanto que a ideia de ir ao supermercado para comprar o produto não será algo que o deixará lá muito feliz.

No entanto, imagine se ao perceber isso, você pudesse apenas apertar um botão na sua máquina e, automaticamente, ela faria o pedido de reposição do sabão para um site especializado na venda desse tipo de produto.

Muita tecnologia? Pois a Amazon em parceria com a Tide, marca de detergente, já está fazendo exatamente isso.

O chamado Dash Button da Amazon, botões que se conectam através da rede wi-fi com o aplicativo da Amazon e podem ser pressionados toda vez que seu estoque de um determinado produto estiver chegando ao fim, já existe.

Para a empresa fabricante do sabão, essa é uma vantagem e tanto, pois a marca não compete pela atenção do consumidor no supermercado, funcionando quase como um programa de fidelidade.

E para o consumidor não há nada mais conveniente e prático do que comprar sabão com um simples apertar de um botão.

Produtos como serviço

A internet das coisas também traz novas possibilidades de características em produtos que até então seriam impossíveis de se imaginar, e que hoje podem ser usadas como diferencial na hora da venda.

A Tesla Motors produz carros elétricos de alta tecnologia, o sonho de consumo de muitas pessoas.

Além disso, eles estão indo além e trazendo serviços para seus carros. A Tesla atualiza o software dos carros de maneira remota para melhorar a performance do produto sem nenhum inconveniente para o consumidor.

Exatamente como seu celular e seu computador já fazem com o seu sistema operacional, mas em aparelhos onde essa tecnologia ainda não é lugar comum.

Produtos conectados

A Uber e a Spotify fizeram uma parceria para conectar seus serviços.

Com isso, o usuário pode linkar sua conta na Spotify à sua conta na Uber e com isso tocar sua seleção de músicas na caixa de som do carro, enquanto usa o serviço da Uber.

Nesse caso, a internet das coisas permite não só a ligação entre um aplicativo e outro, mas também a conexão com o carro, melhorando a experiência do usuário e fazendo que ele(a) permaneça dentro de um ecossistema de aplicativos, aumentando sua fidelidade.

Por mais que pareça ficção científica ou algo próximo do desenho dos Jetson´s, tudo isso já está acontecendo. E há muito mais inovações por vir.

Mesmo que você ache que já sabe bem o que é Marketing Digital, verá que precisa se manter frequentemente atualizado(a) se quiser permanecer relevante em seu mercado.