O festeiro de 86 anos de idade!

Seu Wandinho organiza anualmente os festejos de sua comitiva. Haja animação, né?

O taxista Wander Soares da Rocha, ou Wandinho, como é mais conhecido, é daquelas pessoas animadas, alegres, cheias de energia. Sua disposição para levar a vida vem de longe. Ainda menino ele já trabalhava na roça, conduzindo os boia frias para as lavouras de algodão, milho e soja, na região de Morro Agudo, interior de São Paulo. Nada foi fácil para esse garoto que colocou sapatos no pé pela primeira vez quando tinha 9 anos de idade.

Os anos passaram, Wandinho se casou, nasceu o primeiro filho, o segundo, o terceiro… E quando se deu conta, já tinha 5 crianças pra sustentar. Pra dar conta das despesas, deixou a família em Morro Agudo e mudou-se para São Paulo. “Trabalhei como feirante, depois como motorista de ônibus. Juntei dinheiro e consegui trazer minha mulher e meus filhos. Mas aqui em São Paulo a vida também não era fácil. Morávamos em uma casa de dois cômodos, e as 5 crianças dormiam de atravessado em uma cama de casal”, conta. Ainda assim a família continuou crescendo, nasceram mais 2 filhos na capital.

“Aos domingos minha esposa ia à igreja com as crianças, todas enfileiradas, andando uma atrás da outra. Parecia uma pata com seus patinhos. Os vizinhos viam aquela cena e falavam: Lá vai a família do Chico Rasgado — Chico Rasgado era apelido de pessoa pobre com um monte de filhos”, ele brinca.

E assim foi a vida de Wandinho e sua família, na luta para manter o sustento. Sem medo de serviço, aproveitou os momentos livres para construir com suas próprias mãos a casa onde mora até hoje. “Foi nesse meio tempo que eu mudei de profissão, virei taxista. Às 5h30 da manhã já estou nas ruas de São Paulo, pronto pra trabalhar. Faço corridas de um lado a outro da cidade, até o fim do dia. Mas se precisar um cliente precisar ir ao aeroporto de madrugada, é só me ligar no celular que eu levo, sem problemas. Se Deus me deu saúde até hoje, então tenho que usar pra trabalhar, né?”, ele diz.

E mesmo trabalhando de sol a sol, e ainda participando das atividades físicas do Itaú Viver Mais, ele encontra tempo e disposição para curtir sua maior alegria: estar cercado das pessoas queridas.

Seu imenso prazer em juntar amigos e familiares acabou por se tornar uma tradição e há 11 anos o mês de julho é sinônimo de festa para Wandinho. “Nessa época tem o Rodeio em Morro Agudo, e ainda faço aniversário no dia 19. Então reúno todo mundo pra festejar, vem amigos e parentes de vários lugares do Brasil. Formamos uma comitiva, que lá na minha terra é chamada de República — e é uma alegria só. Todo mundo de bota, chapéu, cinturão, camisa igual, pra participar do desfile montado no cavalo, de caminhão, como quiser ”, conta. Animado, Wandinho desfila dançando forró do começo ao fim. “Formamos a República da Família do Chico Rasgado, da qual sou presidente, e já temos 150 participantes. São 24 horas de festa, durante 10 dias. Churrasco e caldos à vontade, muitos shows, danças e risadas, é uma maravilha. A melhor coisa do mundo é a harmonia e a satisfação de estar cercado pelas pessoas que eu quero bem”, conta Wandinho, já de partida para Morro Agudo. Afinal, o mês de julho está logo aí. É hora de preparar a sede da República da Família do Chico Rasgado e organizar os festejos para comemorar os 87 anos que se aproximam!

Like what you read? Give Itaú Viver Mais a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.