A verdade é uma só. Eu to gostando de você. Muito. E não sei se isso é bom ou ruim. Porque eu me apego às pessoas. Eu me apego demais, sabe? Eu sinto demais. Não sou de viver as histórias pela metade. Nem quero você nem ninguém pela metade. Isso de amar aos poucos, com cautela, com cuidado, talvez não funcione pra mim. Eu sou intensa. E você traz muita intensidade pra tudo isso que estamos vivendo.

Eu sou cheia das inseguranças. E eu te quero tanto na minha vida. Sinto ciúmes e me odeio por isso – sempre falam que ciúme é coisa de gente burra e fraca. Será mesmo? É só que a ideia de te ver sorrindo por outra pessoa, com outra pessoa, dividindo tuas alegrias com outro alguém, é dolorosa demais… Me recuso a pensar nisso. E você tá aqui, certo? Você tá aqui comigo. Sorrindo pra mim e comigo. Compartilhando comigo a sua vida. Me deixando te conhecer mais. Me deixando fazer parte das suas conquistas. E eu fico tão feliz por isso. Agradeço a Deus todos os dias por Ele ter te trazido aqui, pra mim. Por você ser o responsável pelo meu sorriso mais frouxo e sincero. Pelas coisas entre a gente serem tão espontâneas como a primeira vez que andamos de mãos dadas. Isso foi há dois dias atrás. Eu olhei pra você e te mostrei isso. Você sorriu de volta e apertou minha mão. Quero muitas primeiras vezes com você, amor. Quero uma vida inteirinha ao teu lado, se isso for o nosso destino. Quero te contar minhas alegrias e ter seu colo pra chorar quando as tristezas chegarem. Quero ter seu abraço reconfortante em cada encontro. Quero sentir saudade na tua ausência e vê-la desaparecer quando estivermos juntos. Quero ter seu cheiro cravado na minha pele. Quero ter você aqui. Porque tu já deixou teus rastros em mim, no meu sorriso, na minha pele e no meu coração. Teu cheiro ficou cravado em mim. Teu gosto também. Tua cor. Teu amor.

E como, depois disso, eu poderia esperar sentir menos que amor por você?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.