Tem uma amiga mais velha que sempre me fala sobre relacionamentos. A gente sempre conversa sobre se entregar demais, porque ela me conhece e porque no início do relacionamento dela com o marido, ela se entregou demais. E vive me alertando sobre não se entregar demais. E eu demorei a entender isso. Porque eu sou assim. Intensa. E como já te disse uma vez, não sei viver pela metade. Nem quero coisas, sentimentos e pessoas pela metade. Eu estou inteira. E mereço alguém que esteja inteiro também. Por mais que eu me quebre em algum momento, agora, eu sei que estou inteira. Essa amiga me falou sobre não me entregar demais, porque você não precisa saber que eu morro de amores por ti. Cada um tem seu modo de pensar e agir e eu respeito isso. Não que eu concorde com tudo, mas refleti e tenho refletido bastante sobre isso. Eu já quebrei a cara muitas vezes. Com pessoas que eu amo tanto. Amigos e família. Imagina se eu vou mesmo acreditar que não quebrarei a cara – e o coração – com você. Seria ingenuidade demais e isso não me pertence. Ontem eu percebi que estava dependente de você. E me senti um lixo. Sabe? Ninguém deve depender de ninguém. A felicidade de alguém não pode depender de outro indivíduo. É carga demais pra suportar. Eu não quero essa responsabilidade e sei que você também não. Gosto de ti? Sim. Muito. Mas preciso e devo gostar mais de mim, primeiro. E eu me amo o suficiente pra entender que não posso me entregar totalmente a ti. Não hoje, não agora, não amanhã ou daqui há dois meses. Meu coração tem cicatrizes. E vai ter muitas outras ainda. Por mais que eu queira que você seja o amor da minha vida, eu não posso me entregar. Eu não posso te entregar o peso do meu coração. Não posso te entregar a responsabilidade de colocar um sorriso em meu rosto quando as coisas não estiverem bem por aqui. Essa mesma amiga me disse uma vez sobre se deixar quebrar todo dia um pouquinho. Não entendi a princípio, mas acho que estou compreendendo. É que eu não posso esperar de ti. Não posso esperar que leia meus pensamentos, que entenda meus medos e minhas angústias, que goste das mesmas músicas e séries que eu, que tenha a mesma fé que eu. Não posso esperar que a sua vida pare por mim, porque eu sei que a minha vida não pode e não vai parar por você. Somos jovens e temos muita coisa a viver e aprender ainda, graças a Deus. Se quero viver e aprender muito com você, ao teu lado? Quero sim. E muito! E é por isso que eu vou continuar aqui. Com você. Porém, sendo mais eu. Sendo mais a pessoa que eu nasci pra ser. Me doando mais a mim mesma e menos a você. Esperando mais de mim e menos de você. Porque tudo acontece quando tem de acontecer e isso é fato. E se eu precisar me quebrar todo dia um pouquinho, eu vou me quebrar. E se eu precisar sustentar essa armadura pra me proteger do desamor, eu vou sustentar. Porque preciso pensar em mim primeiro – e não é egoísmo – pra depois pensar em ti. Até porque se o fim chegar, quem catará meus cacos quebrados pelo chão serei só eu. Então é melhor que eu comece logo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.