Conto

Ele debochou da cara dela dizendo que era gorda como um botijão de gás, que ninguém gostava dela.

Ela xingou ele dizendo que era um menino burro e feio.

Os dois foram para as suas respectivas casas. A aula havia terminado.

A menina, na sua casa, se olhou no espelho e ficou triste por não ser como a Gabriela, que era bem magra.

Chorou em silêncio.

O menino não pensou nisso. Só brincou com seu video game.

Nos dias seguintes, novas discussões ocorreram.

Um dia, enfim, a Professora viu a discussão, levou ao conhecimento da Diretora, a qual chamou os pais.

O menino foi transferido de escola.

A menina cresceu paranóica, fazendo regimes. Conseguiu ficar e permanecer magra.

Anos passaram, os dois se reencontram na faculdade.

Ela linda, ele meio atirado.

Ele se apaixona, ela esnoba, lembrando cada palavra dele.

Ele volta a xingar ela, dizendo que ele tinha dinheiro, que devia ser feliz por um cara como ele se interessar por ela, a pobre.

Ela não dá bola. Ele.persegue. começa a ligar e esperar ela sair da aula.

Ela registra ocorrência e ele responde a medida protetiva. Com isso, ele para de incomodá-la.

Com o tempo, ela se forma, vira médica, casa com um engenheiro. Rica e feliz pensa “obrigada a ele por me chamar de gorda”.

E vive feliz para sempre.

*obs. Eu inventei a história.

Like what you read? Give Vivi C P a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.