Precisamos falar sobre a série Scarlet Heart

Acontece que, sem querer, visualizei o primeiro episódio de uma série chinesa (ou coreana, eu ainda não sei, mas parece que é tanto chinesa quanto coreana), chamada “Scarlet Heart: Ryeo, Moon Lovers”, de um site chamado “Dramafever”, que pretende ser uma espécia de Netflix, só que do pessoal do oriente (é chinês, acabei de descobrir). Tem anúncios no facebook e, como eu curto muitas páginas nerds, a chamada da série já estava na minha time line há bastante tempo, mas só ontem fui dar uma espiada.

Amei a história (sério, assinei o site chinês, oooooohhhhh loucura, é chinês mas está em português) e estou já no sexto episódio (fiquei obcecada pela história). A série é muito romântica e, ao mesmo tempo, feminista. A personagem principal já deu uma surra em um príncipe ( Wang So, par dela no triângulo amoroso: também, ele jogou ela de um cavalo), já deu uma bronca no personagem mais barra pesada da história e já se salvou (são 25 príncipes na história e ela se salvou sozinha, sem a ajuda deles). Ela acaba de dizer “eu precisava me salvar sozinha, era uma coisa que eu mesma precisava fazer”.

A história lembra-me “outlander”, só que muito melhor. A garota da época atual volta ao passado.

Nos primeiros minutos da série vemos a personagem principal, cujo nome é bem complicado: “Go Ha Jin”, sentada em um pier, bebendo e chorando as mágoas. Perto dela há um mendigo, louco de vontade de beber a bebida dela (não sei se é água ou pinga mesmo). Go Ha Jin dá o restante da bebida a ele. Parece que eles se conhecem, na verdade, pois ela o chama pelo nome. Ela conta toda a bad dela: o namorado a traiu e a deixou cheia de dívidas (mais adiante ela vai contar que ensinou a sua melhor amiga a se maquiar e, um dia, no meio do expediente do seu trabalho como vendedora, visualizou a tal amiga beijando o namorado. Sabemos, por flashes, que Go deu uma surra na guria, mas eu ainda não entendi o motivo pelo qual um monte de senhoras corria atrás dela no início do episódio). Quer desaparecer. O mendigo olha para ela e diz algo como “talvez você tenha que morrer para viver”. Em seguida, ele deita no chão e dorme.

A guria volta a chorar, enquanto um garotinho se aproxima demais da água: resultado, ela sai correndo para salvar o moleque afoguento. Nisso, ela morre, no meio de um eclipse solar.

Na sequência, aparecem vários rapazes (magros, mas bem gatinhos), tomando um banho. Quem surge das águas? a defunta. Vestida como uma oriental antiga. Dai uma criada tira ela do lugar. Após, ela descobre que virou uma nova pessoa: Hae Soo (não é mais Go Ha Jin, seu cabelo muda e a aparência, sendo que ela fica muito feliz ao descobrir que suas rugas desapareceram), uma dama, prima da esposa do 8º príncipe da dinastia Goryeo. Esta esposa a cria como se fosse uma mãe, está doente e o príncipe tem uma queda pela Soo.

Não vou contar tudo, pois a história é grande, mas, enfim, tem 25 príncipes, aparecem uns 10 até o sexto episódio, onde estou assistindo, e tem um triângulo amoroso entre os personagens da fotografia acima. Mas, como eu falei anteriormente, não é uma história clichê. A personagem é super feminista, ela mesma se salva várias vezes (e também quase morre, inclusive, o gatinho de preto da foto, ia matar ela, mesmoooo). Por exemplo, quando ela usa o conhecimento de história ao conhecer o rei e se salva de um castigo por ter batido em um príncipe. Soo fica muitoooooo feliz por se lembrar dos ensinamentos que sua professora do ensino fundamental a fez decorar (hehehehehehe, dá-lhe ensino fundamental). Soo mete-se em tantas confusões que me deu vontade de gritar “sai dai sua besta, sai dai, o que você está fazendo ai sua incherida????”

Sensacional. As imagens da série são maravilhosas, com um cenário muito bonito. Adoro histórias antigas e quando há personagens que não são clichês, eu amooo.

Parece que é uma refilmagem de uma série antiga, baseado no livro chamado “bu bu jung xin”, que eu não faço ideia do que significa. Estou procurando sites em português sobre o assunto. O site dramafever (o nome me deixa constrangida) tem, por enquanto, oito episódios da série, mas toda a quarta-feira tem um novo (vou assistir até o final).

Apenas me irrita a cara de coitadinha que a Hae Soo faz a todo momento (ai guria vê se cresce), mas tudo bem, porque ela mita no final (quando o Wang So chama ela de “minha”, só para ver a reação dela, momento em que ela diz “vamos parar com estes pronomes possessivos, ok???!!!!”, hahahahahahaha)

Estou aqui, assando pão-de-queijo (dessa vez não deu certo, acho que coloquei muito queijo, não ficaram fofinhos, ficaram meio mal assados, ai coloquei de novo no forno e, agora, estão muito duros) e bebendo um vinho, bem ao estilo da personagem da Scarlet Heart, que vive tomando umas e outras durante a série (menina pinguça).

Ah, e o personagem Wang So, que é o cara de preto com a máscara, tem uma cicatriz no rosto, ai ele é todo traumatizado por isso, lembra muito a bela e a fera, o fantasma da ópera, enfim, todas as histórias do cara que se acha feio e tal. Ai ele fica tipo, “ai você tem pena de mim”. Só que ele dá muita patada na guria, sério, gente e ele é o par dela. Se continuar a série assim eu vou torcer para que Soo fique com o 8º príncipe, que é o carinha ao lado direito dela na foto acima, também seu par (é um triângulo amoroso, com maior inclinação ao Wang So grosseirão. É só ver pelas pesquisas na net, vai dar o resumo da série como Soo sendo par de Wang). Legal quando ela fala “como é que eu vou sentir pena de alguém que está sempre me ameaçando de morte?”. Mitou.

Segue, abaixo, uma fotografia da personagem principal e a maior parte dos príncipes que apareceram, por enquanto, no dramalover.

Tem gente que torce o nariz por ser chinês-coreano, mas eu fui criada assistindo Sailor Moon, Dragon Ball Z, enfim, todos os desenhos do pessoal de olhinhos puxados, então, adoro a cultura oriental e, por consequência, amei a série. A única coisa que está me intrigando é o porquê da personagem principal, que veio do século XXI, não saber ler na série.

Ah, e ainda tem uns personagens trogloditas de coração mole muito legal: o general que cria Wang e sua filha, apaixonada por um dos príncipes. Ai ela é toda desajeitada e o pai dela fica incentivando ela (ai, amor de pai, estilo Sherk, muito fofo).

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Vivi C P’s story.