Deus em nosso trabalho — Provérbios 38

Provérbios 8:22–31 — O Senhor me criou como o princípio de seu caminho, antes das suas obras mais antigas; fui formada desde a eternidade, desde o princípio, antes de existir a terra. Nasci quando ainda não havia abismos, quando não existiam fontes de águas; antes de serem estabelecidos os montes e de existirem colinas eu nasci. Ele ainda não havia feito a terra, nem os campos, nem o pó com o qual formou o mundo. Quando ele estabeleceu os céus, lá estava eu, quando traçou o horizonte sobre a superfície do abismo, quando colocou as nuvens em cima e estabeleceu as fontes do abismo, quando determinou as fronteiras do mar para que as águas não violassem a sua ordem, quando marcou os limites dos alicerces da terra, eu estava ao seu lado, e era o seu arquiteto; dia a dia eu era o seu prazer e me alegrava continuamente com a sua presença. Eu me alegrava com o mundo que ele criou, e a humanidade me dava alegria.

Após apresentar a sua excelência, este o monólogo da sabedoria escrito por Salomão inspirado por Deus, nos declara a eternidade e a infinitude da sabedoria divina.

Ela acompanha nosso Senhor desde sempre, foi sua primeira criação como vemos no trecho “O Senhor me criou como o princípio de seu caminho”, tendo participado de todo o restante da criação, servindo de inspiração para Deus, conforme expresso no trecho “era o seu arquiteto”.

Ela sempre se relacionou intimamente com Ele, sendo o seu prazer, e se alegrava com sua presença. Dividia com o Senhor a alegria da criação e da relação com a humanidade.

Apesar da narrativa apontar para o passado, mesmo no presente, Deus e a sabedoria não se distanciam e não vivem um sem o outro através de um relacionamento íntimo e exemplar a ser seguido.

Esta passagem nos deixa mensagens muito fortes e maravilhosas na condução de nossa vida. Creio que nosso entendimento sobre sabedoria é muito pequeno, principalmente quando nos consideramos sábios e detentores de toda a sabedoria.

Assim como Deus, a sabedoria é plena, eterna e infinita, devendo ser perseguida por toda a vida e por mais que possamos considerar possuí-la ainda estaremos muito, mais muito longe de atingi-la.

Também é um convite e um desafio para buscarmos e nos relacionarmos com ela, dia a dia, pois cada vez que procuramos, estudamos, vivenciamos ou presenciamos uma situação, temos a nova oportunidade do aprendizado e da prática para avançarmos em sentido a sabedoria.

Que possamos sempre buscar a sabedoria divina, expressa por Deus nas sagradas escrituras e nas ações de nosso Senhor Jesus Cristo quando aqui esteve, nos relacionando com ela de forma ardente e íntima, afim de cada dia nos aproximarmos dela e desfrutar de toda abundância que ela nos dá.