Deus em nosso trabalho — Provérbios 15

Provérbios 3:9–10 — Honre o Senhor com todos os seu recursos e com os primeiros frutos de todas as plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho.

Normalmente a primeira pergunta que um não-crente me faz quando descobre minha crença, é se participo dos dízimos e das ofertas. Apesar de parecer uma pergunta despretensiosa o real intuito delas é muito interessante, pois na verdade estas pessoas acreditam que estamos dando dinheiro para uma igreja ou um pastor, e acham isso um absurdo.

De certa forma, entendo a indignação deles, afinal pela corrupção do coração humano, muitos falsos mestres e muitas igrejas usam da fé das pessoas para obter riquezas e poder, utilizando estes recursos para os seus próprios desejos e deleites.

Mas esta não é a verdade! Deus não precisa de nossos recursos, pois Ele é o criador de todas as coisas e tem poder sobre todas elas, inclusive sobre todas as riquezas que já existiram e hão de existir. Ele pode movimentar as riquezas e o poder para quem e para onde Ele quiser.

A verdade expressa nestes versículos, é que Deus espera que o honremos com o melhor de nossos recursos, não porque Ele precisa, mas sim para trabalhar o nosso coração. Reconhecer o quanto somos gratos e devotos por tudo o que já recebemos e não só por aquilo que vamos receber.

É interessante pensarmos que não medimos esforços e recursos com pessoas que consideramos amar incondicionalmente:

Normalmente pais não dão tudo que tem pelas necessidades dos seus filhos?

E quando queremos conquistar alguém então, medimos esforços para presentear ou dar o nosso melhor?

Assim como podemos professar nosso amor a Deus, tendo dificuldade em devolver para Ele os dízimos e ofertas?

Em Mateus 6:21 lemos: “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”. Honestamente, tenho dificuldade em crer que alguém sendo capaz de participar dos dízimos e ofertas para a verdadeira obra de expansão do reino de Deus não o faz, realmente o ama de verdade.

Outro aspecto importante é considerarmos também participar com as primícias de nossos recursos físicos e intelectuais na obra de nosso Senhor Jesus, ajudando na proclamação do evangelho, nas atividades de suporte e ajuda ao próximo, na construção de uma igreja sólida e pura, e na glorificação do nome de Deus.

Que nosso coração esteja disposto em prova de amor, gratidão e honra a participar com os dízimos, ofertas e trabalho na obra do Senhor e não com tristeza, obrigação ou por troca de favores e riquezas futuras.