homem

Romances cotidianos e preenchidos de solidez não lhe servem
Nem a mim
Mas, porventura, toda minha pretensão de eternidade seja ocasionada por ti

Todo meu ser anseia por liberdade, vida inconsciente e fluidez
E a coincidência de tudo isso se encontrar com você, me eleva
Ao mais desejado sonho
de estar e não pensar, sentir e não medir
Ao suspiro mais profundo de minh’alma
por um estado de quietação jamais existente

És teu o adeus e saia satisfeito
Não se desculpe pela confusão deixada neste corpo volátil
É só mais um corpo imaterial sem manifestações passíveis a lembrança

Acalmo-me e deito, a vida em sonho me parece mais presente
Talvez porque a esperança de pertencer a ti é maior que a realidade de tê-lo (?)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.