A dança

Hoje acordei mais cedo pra te olhar dormir, é um tanto cômico como todas suas linhas se combinam e fazem uma sincronia entre si. Sentindo o seu cheiro eu percebo que só você me faz gostar do cheiro do cigarro, mas só em você e só com o seu perfume. Meus olhos vão até a tua boca e eu lembro das melhores sensações, incluindo sua voz e a paz que ela me traz, ou o seu beijo que me faz esquecer tudo de ruim que existe no mundo que nos impede de sermos apenas nós… Mas aí lembro do seu olhar, esse aí é o que me ganha, porque quando você me olha eu juro que me sinto nua, o jeito que você consegue me ler me dá uma certa sensação, que eu ainda não sei o nome, mas quando eu descobrir juro que te conto, talvez um desconforto misturado com segurança, já viu isso? É… Também não conhecia. Olhando pra você, eu sinto que não tenho mais nada com que me preocupar, só o aqui e o agora, você me prende e me faz esquecer os meus medos (apesar de parecer tão segura), você me olha como se dissesse “ei, é a gente contra o mundo, eu to aqui.” e quem sou eu pra negar? Fecho os olhos e lembro a sensação que é te olhar, e a dança que seu rosto faz quando você ri… seus olhos se fecham no ritmo que seu sorriso se abre, a covinha aparece, as vezes você ergue as sobrancelhas e finaliza com o som da sua risada, e, nesse momento, parece que não existe nada mais importante do que olhar isso (e talvez não há). Ei, você, que me pegou de jeito, com seu jeito todo sem jeito me chamando pra dançar, me diz quem sou eu pra negar? É aquilo que eu sempre digo… coincidência ou destino? Eu acredito muito nesse danado e já te digo, a vida é sabida e eu também. Hoje eu acordei mais cedo pra te olhar dormir, e percebi que eu quero fazer isso todos os dias da minha vida. Você quer dançar comigo?

Show your support

Clapping shows how much you appreciated thalia’s story.