Olá.

Gosto de você, aviso desde já. Não é que eu seja uma maria-vai-com-as-outras, tampouco sou um completo boçal, muito embora um amigo me avisou a muitos anos atrás: lembre-se sempre que sempre tem alguém mais inteligente que você. Sim. Um perfeito Tio Ben dando a fórmula para o inocente Peter Parker. Com apenas uma diferença: inocência é uma mentira.

Eu já publiquei um livro, na verdade apenas uma monografia de cinquenta e poucas páginas que defendi para me formar em Filosofia ano passado. E sim, de fato, é uma coisa bem chata e difícil de vender, mas como eu queria compartilhar meu trabalho, coloquei para vender ao preço mais barato e espero que baixe a zero em algum momento. Enquanto isso, me divirto com a ideia de que eu pudesse em algum momento me tornar um autor. Eu não sou nada, mas isso é outro post.

Tenho meus trinta, já, mas não passei por crise nenhuma. Sou um bebedor compulsivo de café, mas mesmo assim não é esse o meu pior defeito. A máscara esconde qualquer coisa que eu possa dizer em meras palavras, lógico. Reitero, apesar de tudo, não sou o Pior Homem do Brasil. Minha mãe me ama, com certeza.

Vivo em Cuiabá e sonho em me tornar cientista. Na verdade, com a devida licença poética, já sou um, pois gosto muito de analisar cada pedaço de mim mesmo que eu possa tocar os olhos. De fato, minha filosofia primária é a do Nada, e o que vem depois só pode ser positivo. Meditação, leitura e bicicleta são tudo para mim. Atualmente estou lendo o livro de Jo, e me situo na esquerda libertaria dos movimentos de ocupação, o que de fato acontece na minha faculdade atualmente.

Como disse, não posso me considerar inteligente, principalmente tendo levado uns nove anos para me formar e reprovando em todo e cada concurso que eu fiz nos últimos anos, mas ainda assim tenho o fogo, entende? Melhor morrer tentando do que viver derrotado, como dizem. Ok. Como Napoleão disse. Só não queria ficar associado a ele. Se serve de atenuante, li isso aqui no Medium mesmo.

Enfim. Dada a repercussão dos três primeiros posts(zero), acho que fica por isso mesmo. Gostar de você não me faz uma pessoa melhor, certo? Apenas mais um, provavelmente. Gostar por gostar e viver por viver. Já é alguma coisa.