Tem dia, que nada faz sentido, mas treta é treta e vamo que vamo!

Demorei um pouco pra falar sobre o que aconteceu com a Bel Pesce nos últimos tempos porque fiz questão de me colocar no lugar de cada um na história. Tentei me colocar no lugar dos acusadores, dos juízes de facebook, do escavador de historia de vida dos outros, dos mentores de empreendedorismo, dos parceiros de negócio, do telespectador de tretas e também no lugar da própria Bel. Cheguei em umas conclusões e reflexões, espero que vocês consigam ir até o final dos itens e, claro, fiquem a vontade para comentar...

  1. O povo adora a treta, não importa a forma, o cheiro ou o gosto que tem. Treta é treta. Foda-se, não é? Pois é, cara o que eu vi de gente defendendo arduamente alguém que não se conhece, defendendo uma história que se soube há pouco e que não se tem conhecimento de causa para argumentar, affe um fanatismo desconstruído totalmente ridículo. Também vi de gente criticando e descriticando, gente que não sabe nada da história dela, da hamburgueria, de negócios, quiçá de facebook falando coisas sem sentido, nossa, não foi pouco. Show de horrores, vi tanta desinformação, mas tanta desinformação que sei lá, achei por horas que a discussão era Dilma e Aécio de tão avançado que a coisa estava… Enfim, o que o povo gosta mesmo é da treta. E está mais do que provado...
  2. Vejo erros de todos os lados também. Desde o fato da Bel ter tido a infeliz idéia de validar um negócio sem explicar direito, um timing horrível até um modelo de negócio que na minha opinião é além de improvável, totalmente questionável e indefensável. Mas também vejo erros grotescos de pessoas criticando que não levantam a bunda da cadeira para fazer nada na vida, pessoas (se diziam empresários) que se sentiram em posição confortável para linxar negócios e pessoas alheias, além de um conceito de que todo mundo tem que ter posição definida e deve entrar de voadora em qualquer briga.
  3. Outra coisa que me deixa extremamente indignado: como damos vozes a idiotas! É muito foda como a gente adora ter a polêmica da vez, e cada vez mais, pautada por opiniões BUNDA de alguém que nem se conhece e mais que isso, que muitas vezes não sabe do assunto e do contexto. Cada vez mais o que se quer é treta, é ter a última palavra, a voz da verdade, a busca incansável da dignidade de vidro honrada por palavras que satisfaçam o próprio ego!
  4. Não dá para dissociar uma coisa da outra também (negócio e empreendedor), então vi textões que vasculharam a vida da Bel para buscar as verdades e mentiras da vida dela. Até aí ok, é ótimo saber com quem estamos lidando e isso serve para essas discussões, mas serve MUITO mais para a nossa querida política, que as pessoas não conhecem quase nada, mas a cada 2 anos, se trava uma guerra de desinformação com publicações e compartilhamento dos adoradores de tretas. Acho mesmo que ela não é tudo isso que ela se demonstra ser, mas me diz aqui quantos currículos que você já leu são exatamente como a pessoa é na entrevista ou mesmo por histórias de quem já trabalhou com ela? Já tive contato com ela pessoalmente e não estou defendendo, muito pelo contrário! Na verdade até gostaria que, assim como ela deveria fazer com o dela, você vá agora mesmo ajustar aquele seu inglês avançado que está no seu currículo, quando na verdade the book was never on the fucking table! Agora vamos assumir que ela não é isso mesmo, imaginar que não é formada no MIT e que os negócios delas são apenas pó e não valem nada… sabe o que temos a ver com isso? NADA! Absolutamente, nada! Nosso direito de começar a achar ruim que alguém se vende para conseguir algo, começa a partir do momento que compramos/contratamos e não estamos recebendo o prometido/contratado. Se você não gostou do modelo de negócio, se o preço não é justo, se acha que a pessoa é enganadora: NÃO COMPRE, NÃO CONTRATE! Aliás, guarde essa nota mental: continue pagando sua conta de telefone e internet beijando sua placa de trouxa, porque você é mais otário por reclamar da Bel que não te vendeu nada e ganhou marketing de graça pelo barulho que você fez, do que pagando mensalmente com seu salário (espero que suado, vai saber né!?) empresas que te tratam como lixo desde sempre... não to falando apenas de conta de telefone e você sabe muito bem disso, nem precisa ir muito fundo no assunto, pois essa plaquinha tenho certeza que todo mundo tem!
  5. Falando da Bel, ela errou, errou feio mesmo! Daqueles erros que pessoas medianas consideram e vão continuar considerando imperdoáveis. Mas assumiu que errou e não assumiu só para ela escondida em posição fetal no canto do quarto, assumiu publicamente assim como todo o barulho que foi feito. Mas sabe o que eu acho de mais triste nisso tudo? Já ouviu falar na cultura do erro? Não sabe do que eu to falando? No vale do silício tem uma cultura de que errar é ok desde que a pessoa aprenda e melhore sempre com os erros, muitos dizem que é isso que fez o vale ser o que é, em termos de polo de inovação e empreendedorismo no mundo. Cultura essa que no Brasil é ridiculamente escrotizada e qualquer um que erre toma ferro de todo mundo, de todos os lados, de todos os jeitos! O cara não terminou a faculdade, ferro! O cara só fica no computador, ferro! O cara não acorda cedo, ferro! O cara não seguiu o protocolo, ferro! O cara xingou o outro, nem sei porquê, mas ferro!!! Porra, não existe herói não amigo! Ninguém é perfeito e muito menos declarou que é para você falar o que pensa, só porque tá com a bunda no sofá e pode apontar o dedo na cara de quem quiser, que nada vai acontecer com você! Vou falar de novo: NÃO EXISTE HERÓI, AMIGO! Das cinco características que qualquer pessoa aqui tomaria ferro, 3 delas são de um dos maiores empreendedores do mundo e dono do Facebook e 2 são de uma pessoa que toma ferro dos outros sempre quando joga na seleção brasileira. Sabe o que é mais interessante? Eles não são perfeitos, cara, olha que incrível, olha que demais, olha que sensacional! Mas aqui no Brasil é diferente, o Mark seria só mais um vagabundo, assim como o Neymar nem joga tanto assim, juízes de facebook linxariam esse hipotético cara, porque não faz parte dos padrões de sociedade hiprócrita que o brasileiro tem na cabeça. Apenas guarde isso: não existe herói.
  6. E a teoria sobre a Bel? Bom, se a teoria que li está certa e a Bel não se encaixava no padrão Vale do Silício, ela não tinha mais dinheiro, o visto estava vencendo, ela não se adaptou ou qualquer coisa do gênero, na boa? Foda-se! Não importa! Não importa se ela não conseguiu lá e está tentando aqui. Ela errou de tentar ser mais do que é? Claro que errou, mas importa mais se ela fizer algo hoje e aprender que se não se mexer, não vai a lugar nenhum. Importa mais se ela aprender que ninguém apoia ou patrocina projetos que desconfiam não valer nada. Se ela hoje está ajudando pessoas a empreenderem e tirarem suas idéias do papel, apoiando na validação de negócios de forma diferenciada e aberta para que todos possam aprender junto com o processo: isso faz diferença sim e faz diferença hoje! Não ontem, não no futuro, não para quem não viu e não para quem não acompanha. E digo isso nem que seja na base do “acredite que você consegue!” ou “coloque uma meta e vá atrás”, porque na boa se pelo menos um negócio der certo porque só faltava motivação, vai ter valido a pena no meu ponto de vista! Mesmo sabendo que não é só de motivação que vive um negócio, mas também sei, porque acompanho, que ela não entrega só isso para as pessoas.

Enfim, espero que tenha conseguido colocar algumas idéias do que eu penso que ta acontecendo nesse mundão ai… fica cada vez mais difícil pensar em criar negócios, se a barreira de sentadores de sofa juízes de facebook está pronta para tirar a única coisa que você tem no começo de um negócio normalmente e que é absurdamente primordial para dar certo: A SUA PRÓPRIA MOTIVAÇÃO.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.