Projeto Ponto Limpo beneficia cooperativas de reciclagem

Lojas da rede Walmart Brasil estão equipadas com estações de coleta de materiais recicláveis recebidos e comercializados pelas cooperativas

A gestão de resíduos é um dos pilares da estratégia de sustentabilidade do Walmart, que tem como meta global acabar com o envio de resíduos sólidos de suas operações a aterros sanitários até 2025. Por isso, a empresa trouxe a experiência de estações de reciclagem adotada com sucesso no Walmart Chile para o Brasil. Pouco mais de um ano após o início do projeto Ponto Limpo, foram coletados aproximadamente 15,5 toneladas de resíduos.

O projeto foi desenvolvido para receber mais de 14 tipos de resíduos, são sete bocas e mais dois contêineres para vidro e óleo. Além disso, contam com a presença de um monitor de educação ambiental para orientar o público sobre destinação de resíduos e consumo consciente. Resultado de uma parceria com a Concha Y Toro e a empresa especializada em reciclagem TriCiclos, o Ponto Limpo beneficia cooperativas de reciclagem, que recebem e comercializam os materiais coletados nas lojas Walmart em Morumbi e Osasco.

A Cooperativa Cara Limpa recebe os materiais do Ponto Limpo Osasco. O trabalho é desenvolvido em Carapicuíba, onde há vários pontos de coleta, como condomínios e residências. Desde 2011, Maria Helena José do Nascimento é coordenadora geral da Cooperativa e acredita que a coleta seletiva é o ponto inicial para que possamos melhorar o meio ambiente. A questão social também é um tema que precisa de atenção, segundo ela. “Infelizmente, a maioria dos cooperados não tem estudo para que possam ter um trabalho de melhor salário, então eles procuram muito as cooperativas, o que não deixa de ser um trabalho digno e que garante o sustento de muitas famílias”.

Já a Cooperativa Vira Lata tem parceria com o Ponto Limpo Morumbi. Ela faz a coleta seletiva em 16 bairros da cidade de São Paulo, em cerca de 40 mil domicílios e em empresas parceiras, que resulta em um total de 300 toneladas de materiais recolhidos por mês, garantindo uma renda mensal entre R$ 60 e 90 mil à cooperativa. Sunamita Bianca de Souza Muniz é presidente e está na cooperativa desde 2010. Ela afirma que é um trabalho muito gratificante e que tem uma grande importância com relação à preservação do meio ambiente. “A parceira com o Walmart é muito boa, o material vem mais selecionado, gera renda para a cooperativa e dá visibilidade. Também promove divulgação para a companhia em relação à coleta seletiva, mostrando para quem frequenta as lojas que isso é importante”, declara.

Maria Helena comenta que o material recebido pela cooperativa é limpo, o que ajuda muito, pois o cooperado não gasta tanto tempo. “Além do material, que é de ótima qualidade, essa parceria aumentou o financeiro da cooperativa. Temos a segurança da prestação de serviço que recebemos todo mês. É uma renda fixa, nós temos a certeza de que o cooperado terá o seu salário todo quinto dia útil, sem sofrer a oscilação que geralmente há nas cooperativas. A nossa luta é muito grande para que não aconteça o atraso do cooperado, porque sabemos que ele tem seu aluguel, sua família e suas contas a serem pagas”, enfatiza.

As cooperativas trabalham em função de ajudar o meio ambiente, fazer desse lixo que não é lixo o sustento das pessoas e mostrar que a coleta seletiva traz benefício para o município. “É preciso uma maior conscientização. Existe um esforço para que as cooperativas tenham o seu galpão próprio, seu caminhão, sua esteira e parem de depender do poder público”, explica Maria Helena. Ela ainda esclarece que outro desafio é que os empresários tenham a consciência da logística reversa, porque a partir do momento que se cria um produto, ele vai para o meio ambiente, para a rua e para a residência das pessoas. É necessário pensar onde será descartado e considerar as cooperativas para realizar esse trabalho.

Sunamita ressalta que não é todo mundo que separa o lixo orgânico do material recicável. Por isso, é importante que a coleta seletiva seja ampliada de uma maneira geral. “Tem muitas cooperativas informais e catadores individuais que precisam de apoio da prefeitura. Hoje, nós não conseguimos reciclar tudo o que produzimos e ainda existe uma longa caminhada para que isso melhore”, destaca.

O Walmart recebe ainda para correto descarte medicamentos vencidos em 25 pontos em São Paulo, no Distrito Federal, no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, na Bahia, em Pernambuco e no Ceará. Além disso, todas as unidades da rede recebem lâmpadas e pilhas, baterias e celulares pós-consumo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.