Robin Hood: A Origem

A primeira vez que o herói fora da lei Robin Hood foi visto na telona data de 1908, no curta Robin Hood and His Merry Men, de Percy Stow. Diz-se que figura histórica e mítica, vinda lá da terra da Rainha, viveu no século XII onde o Rei Ricardo Coração de Leão era o líder e as cruzadas se davam pela europa. Ali, Hood roubava da nobreza para dar aos pobres, pois esta os forçava a pagar altos impostos e passar por inúmeras crueldades.

De lá pra cá, ele já foi visto tanto no cinema, como na tevê e também virou personagem de quadrinhos. Habilidoso com o arco e flecha e supostamente na luta mão a mão, Robin Hood ficou imortalizado como o ‘príncipe dos ladrões’ e também como justiceiro.

Beeem mais tarde aquele pequeno curta de Percy virou desenho animado com distribuição da rainha das animações, a senhora Disney. Tivemos também inúmeros filmes em live-action, um deles com Kevin Costner, lá em 1991, e um mais recente com Russel Crowe, lançado em 2010, onde ambos vivem o fora da lei. No Brasil, Os Trapalhões também usaram um pouco da trama para construírem dramatizações e assim foram produzidos ‘’Robin Hood, o Trapalhão da Floresta’’ e também ‘’o Mistério de Robin Hood’. Ainda viveram Hood nas telas, Douglas Fairbanks (1922), Errol Flyin (1938), Cornel Wilde (1946), John Derek (1950) Richard Todd (1952), Sean Connery (1976), Patrick Bergin (1991).

E agora temos mais um filme origem para esmiuçar a jornada de Robin Hood com direção de Otto Bathurst com a sensação da nova geração de atores britânicos Taron Egerton, no papel principal, e Jamie Foxx como seu mentor Pequeno John. O famoso par romântico do herói é vivido aqui pela atriz Eve Hewson, a filha do cantor e músico Bono Vox.

Trailer

Robin of Loxley(Egerton) é convocado para ir as cruzadas e honrar seu povoado. Por lá, não só aprende a se defender e a lutar como também a sobreviver em situações de extremo risco. Vê razão para a guerra, mas também percebe que ela se perde quando inocentes começam a ser massacrados apenas para o gosto dos nobres e das autoridades. Principalmente, quando um jovem é morto na frente de seu pai Little John (Fox). Em sua terra, Nottingham, a amada, Marian (Hewson) ficara para trás desprotegida e quando ele retorna ferido o caos se instaurou pela cidade pela vontade tanto da realeza e dos nobres como da Igreja e até parte dos seus bens foram confiscados. Decide então lutar e tentar não só salvar o povo como ter o amor de Marian de volta e encontra auxílio em Little John, um homem agora sedento de vigança e com muita a ensinar a Robin.

O enredo mostra as origens de Robin, como o subtítulo que o longa ganhou no Brasil auto-explica, mas o que o difere de qualquer outro filme sobre o príncipe dos ladrões é que ele tem um tom moderno e embarca o espectador em um design bem parecido ao que o diretor Guy Ritchie deu aos também clássicos Sherlock Holmes e Rei Arthur, porém aqui, o roteiro de Ben Chandler e David James Kelly não consegue ser tão consistente quanto suas inspirações e a direção de Bathurst fica aguada por demais.

As conveniências são demasiadas, os clichês também e a cada passo do personagem já sabemos exatamente o que vai acontecer, ou seja, não há surpresas. Os pesonagens de Ben Mendelsohn e James Dornan são altamente mais do mesmo e nenhum dos atores consegue esquecer suas características de outros filmes. Talvez Eve Hewson e Tim Minchin até se saiam bem, mas a dupla protagonista não. E Taron Egerton e Jamie Foxx parecem o famoso arroz sem tempero da tia esquecida.

Há sim aventura, lutas coreografadas (e por grandes sensações da internet como Lars Andersen of Denmark), muito uso de arco e flecha, algo típico do personagem, porém há pouca comoção do povo para com ele e o uso da dualidade de um Lorde que também é consciente e ajuda os outros escondidos parece bobo quando não deveria.

A trilha sonora é assinada por Joseph Trapanese (escute aqui) e vem embalada por sons super, ultra, modernosos.

Ficha Técnica

Tírulo Original: Robin Hood, 2018. Direção: Otto Bathurst. Roteiro:ben Chandler e David James Kelly. Elenco: Taron Egerton, Jamie Foxx, Jamie Dornan, Ben Mendelsohn, Eve Hewson,Tim Minchin, F. Murray Abraham, Cornelius Booth. Gênero: Aventura, Ação. Nacionalidade: Eua. Trilha Sonora: Joseph Trapanese. Fotografia: George Steel. Figurino: Julian Day. Edição: Chris Barwell e Joe Hutshing. Distribuidora: Paris Filmes. Duração: 01h59min.

Avaliação: Dois arcos sem flecha (2/5).

29 de novembro nos cinemas!

See Ya!

B-