Ficções contemporâneas

1) O Caminho do Marciano de Enrique Diaz-Arana

Simples e cativante

Em seu segundo romance, o escritor uruguaio Enrique Diaz-Arana acerta em cheio com uma prosa extremamente simples e quase vazia de ação. Através de diálogos aparentemente banais, ele consegue construir um mundo rico que vai da história de ficção científica do livro que Alina, a personagem principal, carrega em suas mãos (que também dá nome ao livro), até a história de sua família, principalmente seus irmãos (um grupo de antigas estrelas infantis da TV local). A história do livro de Alina é a seguinte: um peregrino de Marte descobre um mantra que o faz resistir às duras condições impostas nas minas do planeta e começa a andar pelas planícies vermelhas ensinando-o para seus pares (a fórmula é fácil: basta repetir a palavra “sonar” milhões de vezes). Essa história se desdobra na história de Alina que, questionando sua própria vida e sua postura espiritual, acaba se tornando o centro silencioso desse livro, depois de passar mal e entrar em uma aguda crise de depressão. O Caminho do Marciano, originalmente publicado em espanhol, não foi ainda traduzido para o português. Uma pena.