Eu não posso morrer antes de me sentir incrível.

Eu não posso morrer antes de ver todas as séries as quais gosto. Não posso dizer adeus a este mundo sem ter dito a todas as pessoas que pertenciam a meu ciclo social o quanta eu as amava. Não posso morrer sem viajar, sem dirigir a noite, em rua deserta, ouvindo apenas minha respiração. Não posso morrer sem me apaixonar pela mulher da minha vida. Não posso morrer sem rir com os meus amigos. Não posso morrer em casa sozinho. Eu quero sair para muitos lugares. Não posso morrer sem me sentir próximo ao meu Deus. Não posso morrer sem ter ouvido pela ultima vez o álbum do Harry Styles ou lido todos os livros da Clarice Lispector. Não posso partir, sem ouvir a música partiu do Marcos Almeida. Não posso morrer sem gargalhar de piadas ruins. Não posso morrer sem abraçar o mundo inteiro. Não posso morrer sem ter tido a honra de falar sem parar até começar a falar coisas sem sentidos. Não posso morrer sem admirar meus pais. Não posso morrer sem jogar videogame com meu sobrinho. Não posso morrer sem deitar na grama e admirar a lua. Não posso morrer sabendo que nunca ajudei ninguém. Não posso morrer sem ler 1 coríntios 13 pela ultima vez e me lembrar que meu propósito no mundo é amar. Não posso morrer sem pedir pizza e muito menos sem pedir perdão. Não posso morrer sem reunir meus amigos na minha casa e dar risada de qualquer coisa. Não posso morrer antes de me sentir incrível. Eu sou imortal.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.