love trumps hate

bem, em tempos de trump e temer tudo nos faz refletir e imaginar como sera o mundo num futuro próximo. aparentemente tudo vai piorar. ninguém sabe ao certo. eu diria que os indícios são fortes e todos tendem a isso. mas não é apenas trump ou temer no poder que me assusta, na verdade, o que me assusta é o que pode vir por trás disso, ou na verdade acompanhado disso. sobretudo na comunidade gay. eu poderia aqui adicionar as mulheres, as trans, os negros e todos os outros segmentos presentes no mundo, mas infelizmente não faço parte de todos estes grupo, posso falar dos gay, na verdade apenas de mim, um homem gay (me desculpe se não posso expandir o “cobertor”, não posso falar daquilo que não vivo e não sei, posso ter uma impressão, mas relatar e imaginar qualquer situação? isso eu não posso fazer).

e que medo é esse? tem um pouco que ver com o titulo do post, love! é muito comum andar por ai e ouvir alguém dizer: o mundo precisa amar mais, não se preocupe, o amor vence qualquer barreira, e blá, blá, blá, blá. eu me pergunto e sempre me perguntarei, que amor é esse que supera tudo, e que ama tudo e a todos e todas? não, não me venha dizer que é o cristo encarnado, porque você leu no relato bíblico que “deus é amor”, não é esse amor que procuro, e também não me venha dizer que é o amor de mãe, que este é sempre compreensível e [adicione aqui um verbo ou termo mais apropriado pra você]. este amor que todos dizem ter, ou melhor existir, pra mim vem de dentro de cada individuo, vem do desejo de ser melhor, de ser respeitado, parece clichê mas o ideal de vida é aquele no qual vivemos pensando/agindo de forma que tudo que façamos seja inspirado naquilo que quiséssemos que os outros fizessem por nos.

longe de mim querer ser exemplo pra alguém, não sou e não posso ser por mim. mas acredito num mundo melhor onde pessoas passaram a se amar mais, e a partir desse amor repartir com outros e então, só então existir a possibilidade de ser amor. viver amor. e então, trump’s e temer’s deixarão de existir. pois vivemos o amor. e então love trumps hate será realidade.