#dia6 — Oompa-loompas, MacGyver e a geração alpha

Hoje cedo li em um portal de notícias que a palavra “Oompa-Loompa” será inclusa no tradicional dicionário inglês Oxford. Isso mesmo, os pequeninos uniformizados que trabalhavam na fábrica de chocolates para Willy Wonka agora terão um verbete em um dicionário.

E eles não serão os únicos, os oompa-loompas ganharão espaço junto a mais de 1000 outras palavras que também serão inclusas lá. Entre elas, “MacGyver”, que agora é, oficialmente, um verbo e indica “fazer ou reparar (um objeto) de um modo improvisado ou inventivo, usando quaisquer coisas que estiverem à mão”.

A partir de hoje, sempre que fizer a famosa gambiarra, basta conjugar o verbo “MacGyvear” pra explicar o ocorrido e tá tudo certo, ninguém vai te achar estranho, acostume-se. Essas palavras foram categorizadas como “palavras pop”, pelo fato de se originarem na cultura pop e terem sido naturalmente adotadas em situações cotidianas pelas pessoas.

Mas não é só de referências da cultura pop que os dicionários são abastecidos, algumas palavras surgem da necessidade de descrever e diferenciar uma atividade ou comportamento. Um exemplo é a inclusão recente da palavra “gender-fluid” também no Oxford, ela está sendo usada para definir a pessoa que não se identifica com um gênero fixo, e sim dinâmico. Oscila entre se sentir homem ou se sentir mulher.

Os tempos estão mudando disse Bob Dylan em 1964 quando lançou o álbum The Times They Are a-Changin’, mas a verdade é que o tempo por si só, já é mudança.

O mundo está em constante transformação, o tempo todo, independente do que façamos.

Por isso, as palavras que todos os anos adicionamos ou tiramos dos nossos vocabulários e dicionários, são na verdade, ajustes necessários às transformações que nossa sociedade têm passado.

Outro sinal dessa constante mudança que vivemos, são as chamadas gerações. Segundo estudiosos, já tivemos os Baby Boomers, geração X, Y, Z e agora aparecem o que os especialistas vêm chamando de geração Alpha.

Não, apesar do nome eles não são power rangers, são as crianças nascidas a partir de 2010. Nasceram em meio a uma nova era tecnológica onde aprendem a mexer em um smartphone antes mesmo de falar. Alguns estudos apontam que essas crianças já receberam mais informações em sua breve infância, do que nossos bisavôs e bisavós receberam durante a vida inteira. A tendência é que a geração Alpha seja caracterizada pelo rápido tempo de resposta em se adaptar a essas transformações contemporâneas.

Pode ser que eles nunca assistam “A Fantástica fábrica de chocolate” ou “Profissão: Perigo”, mas pra uma geração que já demonstra tanta sede por conhecimento, fico mais aliviado em saber que eles poderão encontrar essas marcas (a)temporais no dicionário.

Seguimos.