A sorte de aprender

Eu aprendi como qualquer outro, uma porrada de coisa e esse é meu maior presente, a sorte das sortes.

Cada palavra, virgula, ponto de exclamação, e principalmente os de interrogação, cada olhar que compreende, e ainda os que duvidam, você sabe bem, a gente consegue! A gente consegue cara, encarar qualquer porra, encaramos mesmo, sem garantia nenhuma de vitória, tudo que a gente faz é o melhor que pode ser feito.

Aquele clichêzão, “você sobreviveu a todos os seus piores dias”, eu cresci infinitamente, todos nós somos a semente do amor, houve muito sacrifício, de vidas, de sonhos para que tudo que ouvi e vi, pudesse se realizar. Talvez por isso eu tenha o maior prazer, em ouvir, cada nota de sua voz remonta a tempos imemoriais, quando o som era imagem, telepatia, uma lembrança da época em que os seres se entendiam sabe?

Essa sensação é familiar e óbvia, há muito mais que nos une do que nos separa, tão óbvio que resiste, a mesma pergunta a mesma resposta que de alguma forma, acho que aprendi.

A vida mudou mesmo, quando aprendi a pedir ajuda, aprendi que há coisas que tenho que não me pertencem, flores que nasceram em mim, feitas para perfumar a vida de outros.

Vi pessoas, que me salvaram num vislumbre, num verso, numa indagação, todos os dias sinto o afago do universo, me dizendo que tudo é quando pode ser, sinto-me mais próximo do divino, porquê se “Deus” existe, penso que seu grande poder é o de deixar as coisas rolarem, ele é o cara que verdadeiramente pode não se importar com nada, livre de julgamentos, por isso perdoa e ama, e sendo assim, nada temendo em tudo mergulha.

Há muito que não entendo, mas hoje me sinto capaz, poderoso, pois tenho consciência e imaginação, nada existe que me impeça de realizar grandes feitos, até porquê grande, é conceito raso para mero entendimento, não existe pequeno nem grande, todas as coisas tem seu valor e significado.

Aprendendo a apreciar as coisas como são, temos todo o poder, as vezes dói, as vezes não, o importante mesmo é o caminho, tudo lhe moldou para que me encontrasse, agora, neste exato momento, minha imagem foi criada para que pudesse me enxergar, experienciar-me, até mesmo para que eu em falha te julgue, tive que te perceber, é tão óbvio que vira risada.

Como dizia Da Vinci, a simplicidade é a máxima sofisticação, estamos todos no único lugar onde poderíamos estar, vim ao mundo para te perceber e para que me percebesse, e por mais que não entenda, amigo ou “inimigo” tive de te olhar, ninguém é insignificante, todo o universo existe dentro de nós, e não é brisa não!

Quando olho com fé pelo olhar do aprendiz, tudo o que sobra é esperança, que cada um ao seu tempo, vai ver o que tem que ver, mudar o que tem que mudar, nada permanece como está, e pro “bem” e pro “mal” tudo é combustível de mudança, e se pá ta ai toda graça, pessimistas e otimistas se unem numa máxima, “viver é uma puta de uma experiência”. Seja lá pra onde vai esse sentimento, pra mim o que fica é gratidão.

“Se você me ver pode acenar pra mim, já pensou que louco te encontrar assim?” — Charlie Brown Jr.

*escrita automática, no meio do papo cabeça com os brothers

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.