Dor sonhada

Doía
E eu vasculhava todo meu corpo a procura da dor 
e nada,
mas ainda assim doía agudamente
foi então que notei, que a dor ocupava outro plano
o plano inferior onde só as dores mais cruéis podem existir 
a parte escura da alma
uma espada infincada no amago do ser
que não bastando atravessar-me,
passeava por toda parte da alma dilacerando-a lentamente
e além disso, estava em chamas
e além disso, eletrificada
e além disso, envenenada
E nem o sono me salva, e se com muito esforço durmo, ela vira dor sonhada.

Like what you read? Give Wellington Acencio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.