Fonte: Um artigo atoa que não fala nada. Nem vale apena citar. Ele não deve dar bola pra uma imagem de nada né?

Escarros #1 — Nada

Ao acaso me vem palavras,
e ao descaso me vem nada.
Escrevo quando as coisas vem,
e não quando tento busca-las,
pois isso não dá certo,
(não dá mesmo).
Não sou a pessoa certa para tomar iniciativas,
sou idiota e chato por isso.

Na verdade meu forte nunca foi forçar as coisas,
mas também, porque preciso ser forte?
Eu preciso ser chato,
e não forte.

Quando as pessoas são fortes demais
elas precisam de espaço,
e pessoas brigam por espaço.
Não quero brigar por espaço.

Quando me obrigo a escrever
eu nunca escrevo,
mas penso que escrevi.
E adivinha,
isso é chato.

Por exemplo agora:
eu estou aqui sem objetivo algum
escrevendo,
mas é justamente sobre isso:
não me comprometo em dizer
nada coerente aqui,
eu só quero escrever,
só isso.

Ninguém tem objetivos no fim,
somos apenas almas tentando.
Nos convencemos, nos abraçamos,
e acreditamos
que temos um (sonho?)
não.

(apenas nada).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.