A espera acabou Mulher Maravilha chegou

Enfim chegou o dia de vermos um filme de uma super-heroína na tela do cinema, mas não qualquer heroína, simplesmente a maior de todas. Infelizmente tivemos que esperar mais de 75 anos para ver a personagem da DC comics, que carrega o trono de maior heroína nas telonas, mas felizmente o filme recompensa os anos de espera.

Trata-se de um flime de origem, que cumpre bem seu papel introduzindo a personagem e respeitando sua origem nos quadrinhos, inclusive apresenta de forma muito inteligente as duas origens da heroína a clássica que diz que ela foi criada a partir do barro, e também a versão dos novos 52 que aponta a princesa Diana como filha de Zeus com Hipólita. Mas o fato que mais desperta interesse no filme é seu tema feminista, ou melhor extremamente feminista, mas não pense que quando uso essa hipérbole me refiro a um filme que prega durante duas horas um discurso politico feminista, ocorre exatamente o oposto o filme dirigido por Patty Jekins e estrelado por Gal Gadot é extremamente feminista, pois retrata de forma simples e clara a condição que a mulher se encontrava no período em que a hisotira ocorre, onde seus direitos ainda são praticamente inexistentes, e a personagem de Gal Gadot a grandiosa Mulher Maravilha quebra todas as correntes do machismo e prega a igualdade entre os gêneros em ações pequenas durante o filme, como no seu relacionamento com Steve Trevor que insiste em ordenar que Diana tenha algumas atitudes durante a trama ou até mesmo que não tome atitude alguma, mas sempre em um ato de feminismo ela se opõe as ordens de Steve não no intuito de confronta-lo ou de assumir posição superior a dele, mas de mostrar sua capacidade em solucionar o problema.

O filme não é perfeito, nem chega a ser um dos melhores filmes de super-herói, mas é ótimo em alguns elementos como em sua construção, no fan-service apresentado, nas cenas de batalha ( que abusam do slow motion) e no modo como os poderes da Mulher Maravilha são apresentados. Esse filme pode ser considero excelente, pois além de cumprir seu papel de representar a maior heroína da ficção, e expor o tema do feminismo, faz de modo que todos os espectadores se sintam confortáveis com o tema e abordagem, antes de qualquer coisa Mulher Maravilha é um flime “pipoca”, pra família toda, para o fã de quadrinho, para o fã de filmes de ação, para mulheres, para homens, enfim para TODOS e é isso que o torna tão bom.

Creio que William Moulton Marston criador da personagem ficaria orgulhoso em ver a história que ele criou sendo bem representada no cinema, vencendo um sexismo e preconceito real contra a figura da mulher,de forma simples e divertida e abrindo margem para que o mercado de filmes de super-herói seja povoado, com um leque enorme de filmes tanto de heróis homens quanto mulheres e que deve só crescer a partir do sucesso de Mulher Maravilha. O primeiro filme de uma super-heroína saiu e eu só posso dizer que agora ficou difícil para a Capitã-Marvel e a Viuvá Negra, superarem o maro, essas que são as próximas a receberem uma adaptação nos cinemas.

Infelizmente de forma tardia saindo muito atrás de heróis como Batman e Superman, que tem cerca de 8 filmes solo cada, porém o filme nos proporciona a esperança que um dia, também teremos uma coletânea tão vasta de filmes da Mulher Maravilha, para amar, odiar e comparar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Galzo’s story.