Vida de Igreja nunca é fácil. Por mais que busquemos a comunhão, a harmonia e o amor ao próximo, somos feitos de carne, sangue quente, temos nossas próprias opiniões… Sempre busquei ficar afastado de problemas referentes à igreja, porque são coisas que não me edificam, mas sou feito de carne. E mesmo procurando somente agradar única e somente a Deus, acabo ouvindo coisas e sabendo de coisas. O que me levou a buscar ‘conforto’ nas escrituras sagradas.


Lendo a carta de Paulo aos Colossenses, ele diz no capítulo 2 versículo 18–19: “Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade (…). Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa. Trata-se de alguém que não está unido à Cabeça, a partir da qual todo o corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento dado por Deus.” O que me levou a outra passagem que diz: “o homem perverso instiga a contenda, e o intrigante separa os maiores amigos (Pv: 16:28) Com isso em mente, me questionei se estou fazendo certo em não querer confrontar essa “falsa humildade” e me manter longe. Parando para refletir: O que leva uma pessoa a gastar suas energias para criar intrigas? Por que não usar a sua palavra para mostrar mais do amor de Cristo, buscar a união, levar a palavra de Deus? Porque só unidos vamos conseguir perseverar e vencer o mundo.


Continuando a leitura, tive uma resposta para meu questionamento: “Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a sua vida, for manifestado, então vocês também serão manifestados com ele em glória (Col‬ ‭3: 1–4‬). Pelo menos conclui que um ressurrecto em Cristo tem seu pensamento voltado para Deus e busca se voltar para o Reino, tanto no falar como no agir. E nada vai abalar ou tirar a marca que Jesus deixou em nossa vida.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Wesley Furtado’s story.