Você vai aprender a viver sem…

Você vai aprender a viver sem, você vai aprender a viver sem aquele esmalte que tanto adora, vai perceber que talvez aquela sua amiga não seja tão sua amiga assim e sem perceber vai se afastar dela, você vai aprender a viver sem aquele menino que por alguns meses ou anos foi seu tudo… Você vai aprender a viver sem muitas coisas que hoje julga ser tão importante, mas não é. Você pode viver sem tudo menos sem o amor…

Em certo momento da sua vida você vai entender o por que tem essa vontade louca de querer amar todo mundo, de se sentir amada, de querer o amor de qualquer pessoa, é porque você nunca amou. Você pode amar sua mãe, seu cachorro, sua amiga, mas não provou todos os tipos de amor, talvez você nunca conheceu nenhum tipo de amor, talvez você seja apenas uma conhecida dessa palavra, não íntima, talvez você não tirou um dia sequer da sua vida para o conhecer a fundo. Dizer “Eu te amo” não significa amar, existe uma grande diferença entre falar e sentir, falar minha cara até um papagaio fala, mas sentir e conhecer? Isso é extremamente pessoal.

Amor não é quantas vezes você atualizou seu My Story no Snapchat com fotos inúteis para que ele perceba que você está ali e vá falar com você, amor não é você passar horas do seu dia correndo atrás de uma pessoa que te trata como segunda opção, amor não é você inventar assuntos no Whatsapp para conversar com ele, amor não é você colocar uma placa escrita em NEON “Eu estou aqui” para ele te notar, isso não é amor… Se a pessoa quer estar com você ela está, se ela não quer ela não quer não vai estar, vai doer eu sei mas daqui um tempo isso vai passar, se ele quisesse estar com você ele estaria, arrumaria um tempo para conversar com você mesmo que estivessem em um fuso horário de quase 12 horas, o futebol, o inglês, o cursinho, o vestibular, são apenas desculpas.

Amor não é você passar metade do seu dia montando o mapa astral de vocês ou ficar pensando numa vida perfeita ao lado dele no futuro. Pare! Isso não é amor, é só mais umas das suas tentativas para que ele te de um pouco de atenção nos seus momentos de carência. Amor não é você ficar com raiva por ele ter preferido jogar video game com os amigos, amor não é você passar horas ouvindo músicas românticas e chorando por ele ter trocado você pela sua “amiga”, volto a repetir isso não é amor, isso tem outro nome: DOENÇA.

É desgastante olhar para uma pessoa e vê-la nadando contra a correnteza quando ela ao menos sabe nadar, chega a dar dó, talvez você não perceba pois estava muito preocupada tentando cair nas desculpas esfarrapadas que ele te dava. Você vai aprender a viver sem tudo isso, você vai aprender ser mais forte, mais confiante, mais tudo… E especialmente vai aprender a se amar, a buscar amor dentro de si, não com os outros.

Talvez esse seja o problema, você está mais preocupada em ter um status de relacionamento no facebook do que realmente se amar, talvez o amor próprio para você não exista, talvez, talvez, talvez… Mas quando você encontrar o amor dentro de si, nunca mais vai precisar a procurar nenhuma pessoa que te diga “Eu te amo” porque só você se basta. Mais amor, mas sem pedir por favor, porque você vai aprender a viver sem e vai aprender que tudo isso serviu para te tornar uma pessoa melhor, vai aprender a viver sem e nem vai sentir mais falta.

Eu termino esse texto com uma das minhas frases favoritas: “Ô minha filha, as suas dores não são as maiores do mundo e nem vão ser. Sacode a poeira. Toma um banho de rio. Abre essas asas. Grita alto, chora baixo. Pula alto e cai de cara. Desenha toda a beleza do mundo. Compra uma caixa de lápis de cor e sai aí colorindo a vida.” Tati Bernardi

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Glorya Oldemburg’s story.