a mágoa não me dói mais

o perdão me libertou

o que dói é a saudade. são os detalhes das nossas trocas de reciprocidade (enquanto ela ainda existia)
são os teus poucos dias de tempestade
e meus dias incontáveis de chuva.
eu chovia muito e você não era obrigado a se molhar
e mesmo assim, você ficou

por um tempo
ficou até não ficar mais.
e quando você foi, meus dias me assombraram com maré viva em meu peito. amostras grátis do fim do mundo dentro de mim.

nunca mais senti tua gravidade
teu perfume, teu cheiro antes de dormir
não sei o que cê tem planejado pra depois de mim
mas cê ainda me tem em tuas mãos
e ainda te tenho no meu coração

meus dias são tristes sem o teu jeito único de ver a vida
sem as nossas viagens sem sair do lugar
sem tua voz de sono do outro lado da linha quase que sussurrando palavras que me serviam de consolo, visto que eu não te tinha quando e onde eu quisesse.

ficou um vazio
mas é um vazio estranho porque é cheio demais
tão cheio que transborda

e eu já entendi
eu entendi que não precisa doer pra ser amor

então eu te deixo ir

fins não precisam ser um caos.
não precisa ser doloroso. não precisa ser meu fim.
não precisa.

quem sabe lá na frente tudo se ajeite. minhas chuvas diminuam. quem sabe ainda dê tempo.

porque apesar desse nosso desencontro
aqui existiu amor
e isso é reconfortante
fique sabendo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Camila Neumann’s story.