Precisamos falar sobre Demi Lovato

O ódio não tem limites. Quando ele se espalha, em quase todos os casos, é como uma praga: um começa odiando, outro vai na onda e o resultado final de tudo isso todos sabemos o que é. Muitas vezes o mesmo ódio é coerente. Em outros, não podemos dizer o mesmo.

Artistas são o maior exemplo disso. Como pessoas públicas e expostas diariamente nas mais diversas circunstâncias elas enfrentam julgamentos, comentários e até represálias. É o famoso preço negativo da fama, algo que é tão bom mas que quando não bem administrado pode machucar, ferir e acabar com uma pessoa, por mais importante que ela seja.

Entre tantos nomes tem um que chama a atenção. Estou falando de Demi Lovato. Sim, aquela garota que começou a sua carreira logo cedo nos desenhos do Barney, depois virou estrela da Disney e hoje é um dos maiores nomes da sua geração. Demi, claro, tem muitos fãs. Por outro lado, ela hoje é um dos maiores nomes do ódio sem coerência, sem a mínima razão.

Não vou mentir. Eu já fui um “hater” da menina que dizem que tem apenas um hit na carreira. Felizmente, a nossa mentalidade muda, a nossa cabeça abre ainda mais e o ódio se transforma em admiração. E que admiração. Hoje eu posso dizer que admiro Demi e os motivos não são poucos.

Assim como Lady Gaga, Christina Aguilera, Madonna e tantas outras, Demi usa o seu nome como uma voz. A cantora, que admite publicamente que já foi viciada em drogas, tem problemas mentais e não nega que passou pela famosa reabilitação, faz música de qualidade (Confident um dos melhores álbuns de 2015 sim) mas também sabe lutar pela causa. Ela é feminista, não aguenta as coisas calada e fala o que pensa, doa a quem doer. Fora isso, a mesma Demi usa o seu histórico desfavorável na busca para ajudar outras pessoas pelos mesmos problemas que ela passou e ainda passa.

Porém, mesmo assim, Demi é odiada e explicar esse ódio sem razão é difícil mas simples: ela é mais uma a fazer parte de uma geração onde o talento (afinal isso ela tem de sobra) incomoda, onde você não se manter calada diante de um fato ou clamar por direitos é considerado ofensivo. Sim, ela é uma clara vítima de uma sociedade que a critica mas por outro lado aplaude cantoras que usam a sua voz apenas por um hit.

É claro que todo mundo tem o direito de não gostar até porque gosto não se discute, mas para pra pensar um momento: até que ponto é gosto e até que ponto é ódio? Deixem a Demi em paz. Deixem ela fazer a sua música, mandar shade nas redes sociais (pode entrar Taylor Swift e Mariah Carey)… Como uma pessoa confiante, ela só quer ser ela mesma e lutar pelo que deve.