Não temos o que fazer!

Assim escutei, do médico que me atendia, durante uma importante avaliação!

Bem… vamos começar do início!

Estava eu, casamento marcado, 26 anos, recém promovido profissional e socialmente, ou seja; Havia subido de cargo novamente após 3 anos da última promoção. Havia sido ordenado líder de uma célula de jovens; sou Neopentecostal, na igreja Nova Aliança de Londrina-PR, membro a 9 anos!

Tudo ia bem, correria, mas bem, até que… Fui atropelado!

Eu, na época 98 quilos, dirigindo por uma importante avenida de Londrina, que liga o centro da cidade, ao aeroporto… quando uma senhora, corta a minha preferencial!

Quem já teve moto sabe, aquilo não para fácil, e eu numa motocicleta 125c, sem os recursos de ABS ou qualquer outro dispositivo de frenagem, 70 metros é espaço mínimo, necessário para tal façanha, mas…

Eu tinha apenas algo em torno de 45 metros! Levando em consideração o tempo de resposta, até o acionamento dos freios, e o arrasto, tal colisão seria certa!

Eu trafegava a algo em torno de 65/70 km/h, o que é a media do trecho, mas naquela situação, não havia o que ser feito!

Eu que aqui escrevo, tive e tenho perda de memória, do momento do acidente, até hoje, isto ainda não normalizou, mas, vendo as filmagens de câmeras de segurança, de empresas localizadas nas imediações, as quais flagraram todo o acidente, é notório! Não havia o que ser feito naquele momento! Observando as filmagens, noto que minha reação é de desviar a esquerda, mas para minha infelicidade, a motorista do veículo, segue na mesma direção, sendo assim, certeira a colisão!

Bato em sua porta, instintivamente, levo o ombro direito, em direção, a coluna da porta do carro, e posteriormente, nesta ejeção, estouro o vidro da porta, que para minha infelicidade, está fechado, onde este por sua vez, se quebra com a cabeçada com capacete!

Até aí tudo bem, poderia ser um susto e tal, se não fosse, pela degola ocorrida! Causada pelo restolho de cacos, que vem a rasgar meu pescoço, causando a destruição de parte do plexo braquial, e consequentemente, o corte da artéria, jugular externa!

Hoje estou com 28 anos, fiz uma cirurgia de neurotização para tentativa de recuperar os movimentos, estou encostado, minha memória não se recupera, cada dia é novo, não me recordo do dia anterior… E assim se vão os dias!

Mas… e aí? Casamento, e todo o resto!

Minha noiva me largou, após um ano ao meu lado, mas cansou de tal fardo, meu braço dá sinal de que vai pelo menos dobrar o bíceps, mas é só sinal, movimento que é bom, nada!

Perdi a sensibilidade do polegar, indicador, e parte do dedo médio!

Minha visão, com a pancada, teve o nervo óptico afetado, então vejo as extremidades duplicadas! Minha memória, está virou um lixo, amanhã pode ser que não me lembre do que escrevi aqui …

Assim são meus dias, e eu que tanto sonhava com uma “barrigudinha” pra pra passear e morder, cá estou, escravo do meu corpo, escravo das circunstâncias da vida! Esta cruel carrasca, que não poupa ninguém! Mas de uma coisa eu sei! Que O meu Redentor Vive, e por fim, Se Levantará sobre a terra!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.