Blockchain revolucionará o jeito de fazer negócios

"Instituições são ferramentas para reduzir incertezas de modo que podemos nos conectar e trocar todo tipo de valor em sociedade."

Douglass North 
Prêmio Nobel de economia

Bancos, Casas de Câmbio, Governos e Corporações são instituições que compõe a "nova economia institucional" e nos ajudam a intermediar os negócios em meio às incertezas e complexidades.


Em tempos primitivos, os negócios eram realizados na base da violência e por meio da reputação. Geralmente as trocas eram feitas de maneira limitada e somente dentro das suas tribos. Com a evolução social, as instituições surgiram para estancar as incertezas de negócios. Hoje temos plataformas como Amazon, eBay, Mercado Livre entre outros, que foram criadas para realizar, através do serviço online, a intermediação das atividades econômicas, visando a redução da desconfiança.

Para Douglass North, a instituição representa regras formais, como uma constituição, e obrigações informais, como suborno. 
Acredito que entramos em uma grande revolução, assim como foram às revoluções industriais. 
Hoje é possível negociar não só com as instituições econômicas e políticas (bancos, corporações e governos), mas podemos fazer negócios somente com o uso da tecnologia.


Blockchain é uma tecnologia descentralizada. 
Um verdadeiro livro público, imutável, no qual armazena o registro de ativos e transações peer-to-peer (ponta-a-ponta).

O blockchain é um grande livro publico de "quem possui o que" e "quem negocia o que".
A alta criptografia realiza o registro de transferências e informações, e os armazena em forma de sistemas de cadeia de blocos, distribuídas em toda a rede. Isso torna o Blockchain imutável.

'Tá, mas como o Blockchain resolve o problema da incerteza? Como ele pode transformar radicalmente os nossos sistemas econômicos?'

A primeira razão da incerteza é de como fazer negócios com desconhecidos. Quando eu compro um smartphone no Mercado Livre, observo primeiramente a reputação do vendedor, leio as criticas e avaliações e se aquele varejista já fez algum tipo de negócio anteriormente. Isso me traz a sensação de segurança na hora da compra. É legal, mas também é muito arriscado. Pense em quantos perfis eu posso ter nessa Market Place.

Com o Blockchain, temos a oportunidade de criar uma plataforma mundial aberta, na qual armazenamos qualquer atestado sobre qualquer indivíduo de qualquer fonte, o que nos permite criar uma identidade virtual única controlada por cada pessoa. Isso significa que você pode, de modo seletivo, compartilhar suas diferentes informações que lhe ajudarão a facilitar o comércio e as interações. Por exemplo, as informações serão legitimadas apenas com a apresentação da prova criptográfica.

Outro problema que o Blockchain soluciona é a transparência nas relações. Como saberei se esse smarthphone que eu estou comprando é realmente o que está sendo oferecido? Como saberei se aquilo que consta nas especificações técnicas realmente é o que está no aparelho? Com o uso do Blockchain, podemos saber de tudo isso, mesmo sem conhecer ou confiar na pessoa que está vendendo e até mesmo ter relações com os fabricantes. Podemos acompanhar a vida do aparelho em uma rede compartilhada entre as entidades, vendedores e compradores. Todos os fornecedores, todos os tipos de empresas, podem interagir usando a mesma base de dados sem precisar conhecer uns aos outros.

Este sistema traz mais transparência para o consumidor. Ao longo da trajetória de um objeto real, podemos ver seu certificado digital mover-se pelo Blockchain, agregando valor em cada etapa do processo de fabricação, promovendo assim a transparência real sobre o produto. Lembrando que isso se aplica aos mais diversos produtos e mercados.

‘E se o comprador não me enviar o Smarthphone? Vou ter meu valor de volta?’ Com o uso do Blockchain é possível utilizar lógicas de negociação sem um intermediário. Contratos inteligentes protegem comprador e vendedor, garantindo o cumprimento do que foi acordado entre ambas as partes.

Trazendo para o nosso cenário da compra do Smarthphone, o valor só será liberado para o vendedor, depois que o comprador certificar o recebimento do produto, com as devidas garantias anexadas na hora da compra da mercadoria. Essa vantagem torna o Blockchain mais empolgante: reduzir nossas incertezas. Além disso, ele tem total capacidade de ruir o sistema financeiro atual e suas obrigatoriedades, o que simplifica a maioria das atividades econômicas, garantidas e automatizadas, apenas com o uso de uma tecnologia. Modifica-se o papel do ser humano para apenas ser apoio para o Blockchain, incluindo informações do mundo real na rede deste sistema.

"O que me surpreende é que toda essa tecnologia teria apenas como combustível uma unica coisa: a nossa desconfiança mutua. Se não fosse isso, tanto o uso do Blockchain, como de instituições não seriam tão necessários.”

Esse é só o começo, muita coisa ainda está por vir. O Blockchain talvez não seja a solução de todos os problemas, mas acredito que precisamos estar preparados para o que está por vir. As instituições autônomas e descentralizadas terão um grande papel na "Nova Economia".